Caso Itamar Ferreira : Sindicato Nacional dos Docentes das instituições de Ensino Superior (Andes) divulgou uma nota de repúdio

Sem categoria
30 de abril de 2013
por Genilson Coutinho


Indignado com o assassinato do estudante Itamar Ferreira da Silva e a forma como o crime vem sendo abordado pelos responsáveis por investigar o caso, o Sindicato Nacional dos Docentes das instituições de Ensino Superior (Andes) divulgou uma nota de repúdio. Veja a seguir com a Andes se coloca diante o fato.

MOÇÃO DE REPÚDIO

No dia 12 de abril de 2013, Itamar Ferreira Souza, 25 anos, estudante da UFBA, foi barbaramente assassinado após vários socos, jogado em um lago e, finalmente, alvejado por um pedra na cabeça por um grupo de 4 pessoas constituído por 3 homens e 1 mulher. Movimentos LGBT da Bahia qualificam o homicídio como mais um crime homofóbico.
Por sua vez, a Delegada Simone Moutinho, titular da 3ª Delegacia de Homicídios (BTS), responsável pelas investigações, após ouvir apenas um dos acusados concluiu que: “sexo grupal atraiu aluno da Ufba para emboscada no Campo Grande”. Tal atitude irresponsável, além de não ajudar a elucidar as circunstâncias em que aconteceu o crime, culpabiliza a vítima naturalizando esse e outros crimes, claramente homofóbico, que acontecem e vem aumentando em Salvador e outros municípios brasileiros. O modo como a Delegada reagiu frente a informações parciais e o fato da vítima ser gay, além comprovar a existência da homofobia institucional, pode ser comparada às justificativas às agressões machistas que atribuem às mulheres os motivos pelo quais são violentadas: ser mulher.
Diante disso, os docentes das Instituições de Ensino Superior presentes na reunião do Grupo de Trabalho Política de Classe para as questões Etnicorraciais, de Gênero e Diversidade Sexual – GTPCEGDS do ANDES-SN, ocorrida nos dias 26 e 27 de abril de 2013, em Brasília, repudiam veementemente as declarações da delegada Simone Moutinho e exigem agilidade nas investigações desse crime homofóbico e punição aos envolvidos, assim como, mais uma vez, cobram por parte do Governo Estadual da Bahia uma política de Estado de combate à homofobia, lesbofobia e transfobia conforme moção aprovada pelas/os participantes do I Seminário Nacional sobre Diversidade Sexual do ANDES -SN e encaminhada ao Governo do Estado da Bahia em outubro de 2012.
Brasilia 27 de abril de 2013