Casal gay recebe carta em condomínio do Rio: ‘Gente de cor e afeminada’

Notícias
24 de janeiro de 2017
por Genilson Coutinho

Na noite de Natal, o professor de Português Júnior Santos, de 24 anos, e seu namorado, o servidor federal Maycon Aguiar, de 23, se mudaram para um condomínio com apenas dez casas em Vicente de Carvalho, Zona Norte do Rio, em busca de uma nova fase para o relacionamento dos dois, que já dura cinco anos. No entanto, um mês depois, o sonho parece ter virado pesadelo.

Na manhã da última sexta-feira, o casal foi surpreendido com uma triste surpresa: uma carta de duas páginas com dizeres homofóbicos e racistas havia sido colocada na janela da residência dos rapazes. Ao EXTRA, Júnior contou detalhes sobre o lamentável episódio.

— Estava fora da cidade, visitando minha mãe. Daí o Maycon me ligou contando o que tinha acontecido, tirou foto da carta e me enviou. Ficamos muito abalados, choramos muito. Estamos em 2017, pago minhas contas e é inadmissível passar por isso dentro da minha casa — desabafa o professor.

O texto, iniciado pela citação ao Levítico, um livro da Bíblia, afirma que Deus não criou o homem para se relacionar com homem, nem mulher com mulher. Em outro trecho, afirma que a homossexualidade é uma conduta “errônea e aberrativa”. Na segunda página da “circular”, o texto afirma que “nenhum morador do condomínio aprova comportamento que envergonha Deus”.

“Gente de cor e ainda por cima afeminada não está no nível dos que moram aqui, por favor, se retirem”, diz uma das frases da carta. “Toda abominação está condenada em nome do Senhor Jesus”, finaliza a “circular”.

Do Extra.