Cantora Vania Abreu lança o single ‘Meu Sotaque’

Música, No Circuito
5 de julho de 2018
por Genilson Coutinho

Baiana, de alma brasileira, dona de um repertório e identidade própria na música, dez discos de carreira, diversas participações em trilhas sonoras no cinema, teatro, televisão, convidada em mais de 20 álbuns de outros artistas, a cantora Vania Abreu tem novidades e acaba de lançar seu novo single intitulado de ‘Meu Sotaque’. A música que tem composição de Marcelo Quintanilha, produção assinada por Toni Duarte, Davi Moraes nas guitarras e Xinho Rodrigues no teclado, já está disponível nas principais plataformas digitais (Spotify, Youtube, Deezer, Google Play, dentre outras).

 Nascida de uma cena do “cotidiano”, de um fato real vivido pela artista, onde desde os anos 90 mora em São Paulo, a canção revela como ainda se repudia as diferenças e de como é feita a compreensão sobre a migração e os problemas nos centros urbanos. “É uma resposta musical há tanto preconceito contra os nordestinos, aos que nos “diminuem”. São Paulo é uma cidade feita por muitos, muitos sotaques e essa é uma riqueza que ela mesmo sabe muito bem desfrutar. Acredito que seja uma boa hora para afirmamos as riquezas, as belezas das diferenças e do encontro delas”, destaca Vania.

Mais sobre Vania Abreu

Entre os anos de 2013 e 2015, produziu artisticamente discos para os selos musicais Comando S Discos e Friends Music Group.  Pela Comando S Editora coordenou também o trabalho de resgate e arquivamento de 77 obras inéditas do sambista Riachão. No mesmo ano, assumiu a direção artística da produção do CD, intitulado “Mundão de Ouro”, junto a Serginho Rezende e Cássio Calazans, que recebeu 2 (duas) indicações no Prêmio da Música Brasileira de 2013 na categoria samba, como melhor álbum, e Riachão como melhor cantor. O show de lançamento do CD, também dirigido por Vania, esteve entre os melhores do ano pela crítica de São Paulo.

Entre os anos de 2014 e 2015, pelo selo Friends Music, da conceituada produtora homônima de áudio para publicidade, dirigiu executivamente quatro produções, o álbum do grupo de marchinhas “Os Marchistas“, o EP “Não Sei se Te Contei” da cantora e compositora Thathi, o CD “Eu Inteiro Só” do cantor e compositor Marcelo Quintanilha e o CD “Lázaro” do cantor baiano Jauperi.   Vania Abreu assina a produção artística, e a produção musical junto ao Maestro R. Petreca do CD “Lázaro” que está na lista dos melhores discos da América Latina de 2015 pelo conceituado site zachary-jones.co. Em 2017, se lançou como escritora com seu primeiro livro infanto-juvenil intitulado Eu e meu lugar” para coleção “Eu vim da Bahia”, da editora Caramurê Publicações.

Foi em meados dos anos 90, que deixando marcas e saudades em Salvador, fez as malas e desembarcou em São Paulo para buscar no ambiente musical paulistano um modo de marcar presença, mostrar sua voz e seu estilo próprios e, ao mesmo tempo, firmar e afirmar sua identidade como autêntica ‘cantora brasileira’. Sua trajetória não foi muito diferente da de outros artistas: cantou em bares e em trio elétrico, participou de grupos musicais e festivais, fez ‘backing-vocals’, gravou participações em CDs de outros músicos, coletâneas e trilhas sonoras antes de poder produzir seus próprios discos.

Aí, revelou-se como verdadeira intérprete, aquela que sabe escolher o que lhe ‘cai bem’ para cantar e o melhor modo de cantá-lo. Palavras suas: “Como é belo ouvir o compositor mostrar sua canção e entregá-la para que a minha voz cuide dela a partir dali…”! De fato, o modo como Vania revela as canções que abraça cuida também de seus ouvintes! E muito bem. Sua interpretação é uma coleção de aparentes paradoxos, deliciosamente resolvidos. É, ao mesmo tempo e sempre, reverente à composição e ao autor, mas inconfundivelmente pessoal; é ‘ampla’, aberta e assertiva, mas também íntima e delicada. A voz cristalina, inflexionada com precisão e segurança técnica naturais, faz brilhar a devoção pessoal com que Vania se veste das canções que interpreta, tornando-as verdadeiras ‘declarações’ suas.

Vania Abreu sabe da importância de construir um repertório próprio, inédito. Assim foi ao longo de sua discografia: “Vania Abreu” (1995, produzido por Ary Sperling), “Pra Mim” (1997, produzido por Guto Graça Mello), “Seio Da Bahia” (1999, produzido por Paulo Dáfilin) e “Eu Sou A Multidão” (2003, produção do mesmo Paulo Dáfilin), “Pierrot & Colombina” com Marcelo Quintanilha (2005, produção de Maurício Tagliari), “Misteriosa Dona Esperança” (2007, produzido por Serginho Rezende), “Flor da Bahia” (2009, produzido também por Paulo Dáfilin), Single “Eu e Meu Amor” (2017, produzido por Xinho Rodrigues), “Antes de Hoje ao vivo” (2017, produzido por Vania Abreu e Xinho Rodrigues), Single “Meu Sotaque” (2018, produzido por Toni Duarte).

Ficha Técnica de ‘Meu Sotaque’

Vania Abreu – Voz

Xinho Rodrigues – Piano

Toni Duarte – Arranjo, baixo, programação, produção e mixagem

Davi Moraes – Guitarras

Carlinhos Freitas (Classic Master) – Masterização

Foto – Edson Kumasaka

Arte da Capa – João Augusto

Distribuição – Fonomatic apenas em Formato – Digital

Selo – Vania Abreu