CAIXA Cultural Salvador apresenta “Riachão – 95 anos de samba”

Música, No Circuito
20 de novembro de 2017
por Genilson Coutinho

Riachão, um dos maiores compositores de samba da Bahia, responsável por mais de 500 composições, sobe ao palco da CAIXA Cultural Salvador para quatro apresentações, entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro (quarta-feira a sábado). A temporada marca a passagem pelo Dia do Samba, comemorado em 2 de dezembro, uma vez que o espetáculo homenageia os 95 anos deste sambista que há mais de sete décadas encanta o povo baiano e brasileiro com a sua obra e entusiasmo, ainda hoje surpreendendo o público com sua vitalidade em cada uma das aparições que faz.

O espetáculo “Riachão – 95 anos de samba”, que tem realização assinada pela Trevo Produções, chega a Salvador após passar pelas de cidades de Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo, num total de 10 apresentações neste ano. Nesta turnê, o compositor se apresenta com a banda Bambas de Sampa, formada em 2014 exclusivamente para acompanhar o Mestre Riachão em uma apresentação. Formado por novos talentos da cena musical de samba em São Paulo, o grupo, desde então, vem acompanhando o artista em diferentes projetos.

Com 96 anos completados no último dia 14 de novembro, Riachão leva ao palco um repertório que confirma a grandeza e importância da sua obra. Com canções gravadas por nomes de peso da música brasileira, de Beth Carvalho a Cássia Eller, o artista escolheu composições que fazem um recorte da sua trajetória, com títulos como a clássica “Chô Chuá” e “Eu sei que sou malandro”, incluindo “Retrato Fiel da Bahia” e “Fala Cavaco”. Ao todo, são 13 músicas entre muitos aplausos.

Um dos destaques do repertório é uma canção inédita que ele gravou especialmente para este momento da sua carreira, “Se Deus quiser vou chegar até 100”, que diz: “Volteeei. Que felicidade eu sinto! Tava com noventa e quatro, agora noventa e cinco… Noventa e cinco… Parabéns! Se deus quiser, vou chegar a 100!”. Lenda viva do samba, sempre com sua boina branca na cabeça, toalha no pescoço (hábito herdado da capoeira) e disposição invejável para sua idade, Riachão distribui alegria em cada uma das suas interpretações e recebe de volta do público o mesmo sentimento, que agradece ao vê-lo no palco celebrando sua obra em vida.

Paulinho Timor, do grupo Bambas de Sampa, fala sobre tocar com Riachão: “Se o samba tem 100 anos, Riachão só perdeu 5 deles. Aos 96 anos de idade, Rei Riachão ainda esbanja vitalidade. Com seu jeito único de compor e cantar, ele mostra, nesse espetáculo, além de seus maiores sucessos, músicas inéditas feitas no decorrer dos anos”, comemora.

 Riachão – 95 anos de samba

Com 96 anos comemorados em 14 de novembro, um dos últimos malandros do samba brilha os olhos quando canta e quando ouve alguém cantar uma de suas centenas de canções. Riachão é considerado a lenda viva do Samba da Bahia, berço deste segmento musical brasileiro, e um dos sambistas da velha guarda mais reconhecidos do país, ao lado de Nelson Sargento (92 anos) e Dona Ivone Lara (95 anos). Com mais de 500 composições, Riachão, que começou a se apresentar na década de 30, aos nove anos, teve suas canções gravadas por artistas como Jackson do Pandeiro, Jamelão, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Dona Ivone Lara, Beth Carvalho, Cássia Eller, Zélia Duncan e muitos outros músicos brasileiros consagrados. Em 2017, já realizou apresentações nos espaços culturais da CAIXA nas cidades de Curitiba, Rio de Janeiro e São Paulo, acompanhado pela banda Os Bambas de Sampa, e agora se prepara para mostrar o espetáculo para sua cidade, Salvador.

O apelido de “Riachão” ganhou na infância. Quando menino gostava muito de brigar. Mal acabava uma peleja, já estava disputando outra. E aí chegava os mais velhos para desapartar pregando aquele velho ditado popular: – Você é um riachão que não se possa atravessar, lembra ele. E assim Clementino Rodrigues virou Riachão, que atravessou mais de nove décadas da vida até aqui, sem deixar de brigar um só dia. Brigou com a inspiração, quando esta demorava a chegar, para compor mais um samba; brigou pela afirmação e sucesso de suas composições, brigou contra as adversidades da vida, que não foram poucas, mas sempre brigou com um sorriso nos lábios e a providencial prontidão dos sábios guerreiros.

 Os Bambas de Sampa

Formado em 2014, exclusivamente para acompanhar o Mestre Riachão em uma apresentação, novos talentos da cena musical de samba se reuniram e formaram o que hoje é Os Bambas de Sampa. O grupo, no decorrer desses anos, vem acompanhando Riachão em diversas apresentações, tais como Virada Cultural, SESC, Caixa Cultural, Cantina da Lua, DVD no Espaço Cachueira e programas de TV, além de diversos encontros na casa do artista, tanto em seus aniversários quanto em autênticas rodas de samba.

Idealizado por Paulinho Timor, Os Bambas de Sampa ainda contam com Flora Popovich , Mariana Furquim, Paula Sanches, Caé, André Piruka, Koca Pereira, Marcelo Homero, Miró Parma, Trio Gato com Fome, Cacá Sorriso, Fabricio Alves e Alan Abaddia. Músicos esses que já acompanharam nomes da MPB como; Elza Soares, Paulinho da Viola, Beth Carvalho, Wilson Moreira Wilson das Neves, Monarco, Roberto Silva, Germano Mathias, Osvaldinho da Cuíca, Paulo Moura, Monica Salmaso, Moacir Luz, entre tantos outros mestres.

Nessa formação, integram músicos de diversos grupos já renomados de São Paulo, tais como Inimigos do Batente (18 anos de roda ininterrupta), Gafieira São Paulo (grupo que ganhou o prêmio de melhor grupo de samba na 22ª. edição), Trio Gato com Fome, Batuntã, Samba das Flores, Pitanga em Pé de Amora, Pegada de Gorila, Horoyá, Valdinéia entre outros.

 Trevo Produções

Realizadora do projeto “Riachão – 95 anos de Samba”, a produtora desde 2015 vem realizando projetos em homenagem a Riachão em shows no Parque da Cidade, no Carnaval de Salvador, no Circuito Riachão (antiga Mudança do Garcia), no Sesc Pompéia e na CAIXA Cultural, além de diversos outros projetos artísticos e de cultura popular.

 SERVIÇO:

Show: Riachão – 95 anos de Samba

Local: CAIXA Cultural Salvador (Rua Carlos Gomes, 57, Centro – Salvador (BA))

Data: 29/11 a 2/12/2017 (quarta-feira a sábado)

Horário: 20h

Informações: (71) 3421-4200

Classificação indicativa: 12 anos

Duração: 80 minutos

Ingressos: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)

Patrocínio: Caixa Econômica e Governo Federal