“Bro-job”, ou boquete amigo, faz sucesso entre homens heterossexuais

Comportamento, Social
19 de março de 2018
por Genilson Coutinho

Acapa

Desde os primórdios das civilizações há relatos de relações homoafetivas. Com o passar dos séculos, e consequente domínio do catolicismo no Ocidente, essa prática sexual foi, por muito tempo, marginalizada e criminalizada. O que não significa que elas tenham sido extintos, muito pelo contrário.

Sempre às escondidas, como ainda acontece nos dias de hoje, vários homens que levam vidas heterossexuais, casados com mulheres e pais de família, ainda recorrem àquele alívio básico com outro homem, assumidamente homossexual ou não. Mas seriam esses homens necessariamente gays ou bi; ou apenas “héteros curiosos”?

Seja como, informações do jornal “Metro” o “bro-job”, ou boquete amigo, tem feito sucesso entre homens que não se consideram gays, mas curtem ser chupados por pessoas do mesmo sexo. Segundo o veículo, existem até aplicativos para facilitar esse tipo de encontro, em relatos anônimos ao Metro, homens gays disseram que, na maioria das vezes, os héteros querem aliviar alguma frustração sexual, são homens geralmente tachados como “gays enrustidos”.

Esse desejo de receber sexo oral de outro homem pode estar relacionado a vários fatores, que não são regras, mas podem explicar de onde vem toda essa curiosidade. O jornal fez uma lista com suas posições.

Confira:

Eles fazem melhor?
Um homem pode ter mais noção do que o outro deseja, principalmente no sexo oral, porque é mais fácil saber o que dá prazer quando você também tem um pênis. Isso não quer dizer que as mulheres não mandam bem na prática oral, só indica que os homens podem ter certa vantagem na hora de manusear o membro. Entretanto, não leve isso como uma regra, pois sempre haverá pessoas que gostam e que não gostam de fazer ou receber o sexo oral.

Exploração saudável
Os homens são encorajados a nunca explorar ou questionar sua sexualidade. Se parar para pensar, vai perceber que você acaba se podando em vários aspectos com receio de fazer ou falar algo que os outros julgam ser algo “gay”. Bom, isso é algo extremamente ultrapassado. É saudável para todos explorar a parte sexual, isso ajudará você a perceber o que você gosta e o que não gosta, e isso não te classifica como nada. Lembre-se que rótulos são para produtos, não para pessoas.

Sensação de perigo
Muitos homens gostam da sensação de perigo, portanto ficam excitados com ideia de poder ser “pego” com as calças abaixadas junto com outro homem. A sensação de adrenalina pode tornar o momento mais quente, é como se o cara voltasse a adolescência e estivesse tentando saciar o desejo aflorado pelos hormônios.

Comparação
Para alguns caras, ficar nu com outros homens pode ser uma forma de autoafirmação. Comparar tamanhos dos membros pode ser algo confortável, pois faz o cara sentir que o símbolo da masculinidade dele (o pênis) é algo que não deve ser escondido. Analisar os corpos e os membros de outros homens pode ser atraente para muitos caras.
Sexo separado do sentimento
Os homens tem mais facilidade de separar sexo de sentimento. Isso significa que dois homens podem desfrutar de um ato sexual em conjunto e isso não significar nada depois. É apenas uma experiência sexual que não afeta a sexualidade deles.