Bienal da Bahia apresenta Mostra de Cinema Nigeriano

Cinema, No Circuito
13 de julho de 2014
por Genilson Coutinho

Cinema-Nigeriano

Entre os dias 14 e 16 de julho a 3ª Bienal da Bahia abre as portas para o cineasta nigeriano Tunde Kelani. Serão exibidas três obras do autor na Sala Walter da Silveira, na Biblioteca Pública dos Barris, sempre às 19h. Na abertura, que acontece dia 14, às 18h, o curador, Alex Andrade, receberá o público e apresentará a Mostra de Cinema Nigeriano.

Recentemente a UNESCO apontou a moderna indústria cinematográfica nigeriana como a segunda maior em todo o mundo. A emergência de Nollywood no fim dos anos oitenta coincidiu com a crise que privou os produtores do acesso aos custosos materiais para filmagem em película. Nessa época, um grupo yorubá de teatro itinerante gravava suas performances em VHS e as fitas eram vendidas em lojas de eletrônicos. Nesse contexto, o defensor da cultura yorubá, Tunde Kelani surge como um dos expoentes do cinema da Nigéria.

Com mais de 40 anos de experiência operando câmeras, Kelani, que desde os anos 1970 já trabalhava em emissoras de TV, fundou em 1992 a produtora Mainframe Film and Television Productions, por onde vem produzindo as suas obras. Na mostra serão exibidos os longas Maami, Arugba e Saworoide.

Mostra de Cinema Nigeriano

MAAMI
(Nigéria, 2011, cor, 92’, legendas em português)
Direção: Tunde Kelani
Elenco: Funke Akindele, Wole Ojo, Tamilore Kuboye, Ayomide Abatti
A história gira em torno de Kashimawo, um jogador de futebol bem sucedido que, no período que antecede a Copa do Mundo de 2010, recorda sua infância difícil em Abeokuta, uma cidade no sul da Nigéria. Adaptação do romance homônimo de Femi Osofisan

Onde: Sala Walter da Silveira, Biblioteca dos Barris, R. Gen. Labatut, 27 – Barris. Salvador-BA.
Quando: 14 de julho
Horário: 19h
*Às 18h haverá abertura da mostra com o curador Alex Andrade

ARUGBA
(Nigéria/Benin, 2008, cor, 95’, legendas em português)
Direção: Tunde Kelani
Elenco: Segun Adefila, Bukola Awoyemi, Peter Badejo
História de um rei de uma cidade imaginária que luta contra a corrupção, enquanto consegue reformas econômicas acolhendo habilmente investidores estrangeiros. O retrato de liderança emerge como chave da trama em um romance com Arugba – a virgem que carrega o vaso sacrificatório durante o festival Osun Osogobo – e uma jovem dançarina intencionada a vencê-la. Contrária ao pano de fundo de uma sociedade corrupta, Arugba deve executar seu papel anual de levar o sacrifício em uma procissão até o rio

Onde: Sala Walter da Silveira, Biblioteca dos Barris, R. Gen. Labatut, 27 – Barris. Salvador-BA
Quando: 15 de julho
Horário: 19h

SAWOROIDE

(Nigéria, 1999, cor, 105’, legendas em português)
Direção: Tunde Kelani
Elenco: Ayantunji Amoo, Kunle Bamtefa, Kayode Olaiya, Kola Oyewo
Lapite, o rei eleito de Jogbo, decidiu se enriquecer ao ascender ao trono. Ele elimina toda a oposição ao enviar matadores de aluguel ou após assediá-los ao exílio. O seu rival Adebomi é morto e Ayangalu consegue fugir. Protestos da população e dos agricultores são brutalmente reprimidas. Desesperados, os jovens marcham até o palácio e tomam a coroa real, que por tradição não deve deixar o palácio. Lapite pede ajuda militar ao mercenário Lagata, que o mata e assume o reino

Onde: Sala Walter da Silveira, Biblioteca dos Barris, R. Gen. Labatut, 27 – Barris. Salvador-BA
Quando: 16 de julho
Horário: 19h