Barcelona celebra seu potencial turístico LGBT e recebe mais de 70 mil pessoas em festival

Baladas
13 de agosto de 2016
por Genilson Coutinho

O jornal espanhol “El Pais” publicou no dia 08 de agosto uma grande reportagem sobre a movimentação econômica que o turismo LGBT leva a Barcelona. Segundo o informativo, o potencial gay da cidade é como uma bola de oxigênio que dá ar suficiente para sobreviver à crise e captar investimentos e turistas.

A matéria fala sobre o Circuit Festival, um evento de 10 dias que teve início na noite do dia 07 e é dedicado exclusivamente ao segmento LGBT e leva à cidade cerca de 70.000 pessoas. A organização estima que são movimentados durante o festival 100 milhões de euros.

Não é que os gays surgiram de repente na cidade. Mas há alguns anos, Barcelona tem sido apontada como um destino de viagem gay-friendly. “A cidade passou anos a construir essa imagem aberta, tolerante, cosmopolita e criativa, valores que estão normalmente ligados com os homossexuais”, diz Antoni Seijó, diretor técnico do Instituto de marca ESADE. “É um aspecto que vai além da visita turística, mas também é um lugar para viver ou estudar, por exemplo”, acrescentou o especialista.

Assista o vídeo de 2015

81% do público do Circuit Festival – que inclui atividades diurnas e 23 megafestas de dia e à noite, vieram de fora da Espanha e pagaram entradas que variam de 20 a 50 euros. “Mas tornou-se um clichê dizer que os gays têm muito dinheiro. A verdade é que sim, eles podem ser mais livres que uma família heterossexual e são mais orientados para as despesas”, acrescenta Seijo. Algo que certificam hoteleiros. “Temos a impressão de que esse público contrata serviços extras, como massagens ou refeições no quarto. Eles também procuram suítes mais caras”, explica Manel Casals, secretário-geral da d’Hotelers Gremi.

Apesar desse perfil traçado sobre esses turistas, pouco se sabe sobre gays e lésbicas que vão para Barcelona. Segundo o Consórcio de Turismo de Barcelona, não existem estudos sobre o impacto do turismo gay na cidade, entre outras coisas porque, claro, não é pedido aos turistas que declarem sua orientação sexual ao desembarcar por lá. Assim, enquanto existem estratégias claras da administração para atrair cruzeiros, turismo de negócios ou compras, faltam ideias para promover a chegada dos homossexuais. Apesar do Consórcio, um porta-voz explica que a cidade anualmente participa de algumas ações específicas destinadas a operadores desse segmento.

A consolidação de Barcelona como um destino gay tem chamado a atenção de empresários do mundo tudo. Por exemplo, a cadeia Axel – rede de hoteis destinada ao público LGBT – pretende inaugurar no final de 2014, mais uma unidade. O famoso hotel da Rua Aribau completou dez anos de serviços aos turistas LGBTs. Há seis anos, quando começou o Circuit Festival, o público recebido era metade do atual, cerca de 35 mil pessoas. No entanto, imagens inéditas de milhares de garotos e garotas dançando na ilha da fantasia, um parque aquático – em Vilassar de Mar – virou-se para o mundo e se tornou a principal atração do festival organizado pelo grupo Catalão Matinée.

Foto: Gay Guide Barcelona

O Conselho de cidade de Barcelona, a Generalitat, Turisme de Barcelona, a Guardia Urbana e Mossos serviços sempre foram parceiros do evento. Os subsídios são principalmente em transmitir segurança ao evento. Eles também são ligados à iniciativas, tais como a prevenção ao HIV e às DSTs em geral.

Hoteleiros, por outro lado, viram a oportunidade e dar um apoio mais firme. Este ano, por exemplo, firmaram acordo com a organização do Circuit para gerenciar a busca de mais opções de hospedagem para os turistas LGBTs. “O Circuit tem ajudado a que a ocupação hoteleira não diminua nas próximas semanas,” explica Casals. O NH Calderón sempre foi o hotel oficial do evento. E este ano teve tanta aceitação que a organização também ofereceu o Hesperia Presidente como uma segunda opção.

O Circuit Festival 2013 vai até o domingo, dia 18.

Da Cedsrio