Bandas baianas tocam esse fim de semana no Festival No Ar

Música, No Circuito
12 de janeiro de 2017
por Genilson Coutinho

Após ter realizado edições especiais em anos anteriores, o festival retorna à capital baiana no dia 14 de janeiro com uma série de shows com atrações baianas e artistas de várias partes do Brasil, além de uma feira cultural com expositores da área de moda e design.  A edição 2017 do No Ar na capital baiana ocorre no sábado (14), no Museu du Ritmo, no bairro do Comércio. Além dos baianos OQuadro, Giovani Cidreira, Lívia Nery e Bagum , participam também as cantoras Céu, Ava Rocha e as bandas Ventre e Boogarins. Os shows acontecem em dois palcos que começam a partir das 17h.

O evento teve sua origem no Recife com o nome Coquetel Molotov e é hoje uma referência no cenário independente musical brasileiro ao longo dos seus 13 anos de existência. A edição baiana do No Ar Coquetel Molotov conta com patrocínio da Skol e do Governo da Bahia, por meio do Fazcultura e apoio cultural da Spotify, sendo uma realização da Maré Produções Culturais em parceria com a Coda Produções Artísticas.

Atrações
Fazendo no festival No Ar o show do elogiado disco “Tropix” (Slap, 2016), a cantora paulista Céu ganhou neste ano o prêmio de “Melhor Álbum de Pop Contemporâneo em Língua Portuguesa” no último Grammy Latino. Em seu disco mais recente, Céu brinca com beats em um trabalho sintético, noturno, reluzente em um mergulho neste universo de texturas artificiais. Outra atração bastante aguardada para o evento em Salvador é a banda goiana Boogarins, que atualmente é a banda brasileira que mais se destaca no cenário independente no exterior. Só em 2016, a banda fez duas turnês pela Europa e pelos Estados Unidos, onde lançaram o seu segundo disco pelo selo Other Music e distribuição da Fat Possum. Seu rock and roll está enraizado nas tradições do Tropicalismo nutrido na cultura contemporânea música global com muitos toque de psicodelia nas guitarras.

A cantora Ava Rocha, filha do cineasta baiano Glauber Rocha, vai se apresentar pela primeira vez em Salvador e é hoje uma das mais importantes artistas desta geração. Seu primeiro álbum solo, “Ava Patrya Yndia Yracema” lançado em 2015 foi incluído em diversas listas de melhores do ano, entre elas, as listas da revista Rolling Stone e a do crítico Ben Ratliff, do jornal norte-americano The New York Times. O festival No Ar também apresenta o show da banda carioca Ventre, uma das revelações do cenário alternativo brasileiro. Formado por Larissa Conforto (bateria), Hugo Noguchi (baixo) e Gabriel Ventura (guitarra e vocal), a Ventre tem algo de stoner-rock e mais além com digressões pop e camadas de efeito e faixas que se conversam num misto de prazer e trivialidades.

Dentre as atrações baianas que vão se apresentar no festival nos palcos do Museu du Ritmo está o grupo OQuadro. A banda mescla influências que passam pelo hip-hop, rap, ijexá e afrobeat, entre outros estilos. Após mais de dez de carreira, o grupo lançou seu primeiro álbum, o autointitulado “OQuadro”, em 2012, com participações do cantor Guilherme Arantes e da rapper Lurdez da Luz. Com o lançamento do disco, a banda conseguiu maior visibilidade fora da Bahia e até internacionalmente, participando de festivais na Inglaterra (Bass Festival) e na Dinamarca (Roskilde).

O cantor Giovani Cidreira começou sua carreira em 2006, como vocalista da Velotroz, banda conhecida no cenário rocker independente de Salvador. Em 2014, lançou seu primeiro EP solo, depois de vencer o prêmio de Melhor Música com Letra (“Ancohuma”) no XII Festival de Música da Rádio Educadora FM. Em 2017, Giovani vai lançar o seu primeiro álbum solo, por meio do projeto Natura Musical.

Cantora e compositora nascida em Salvador, Livia Nery leva para o palco suas experiências com teclado, sampler, voz e loop stations, numa experimentação musical que cruza música urbana com soul e cancioneiro popular do nordeste brasileiro. Este ano, fez apresentações no Rio de Janeiro e Buenos Aires, além de ter participado da coletânea “Pulso 2016”, fruto da residência artística na Red Bull Station, em São Paulo.

O trio instrumental Bagum é representante de uma novíssima cena musical baiana. O grupo surgiu junto do ano de 2016 em Salvado e é o resultado que alguns instrumentistas encontraram para dar forma a musicalidades que curtiam. Com um EP novo a ser lançado no festival, o projeto basicamente instrumental, cujo nome pode remeter a “bagunça”, vem com influências fortes de new jazz, hip-hop, post-rock e ritmos afro-brasileiros.

SERVIÇO
Festival No – Edição Salvador do Coquetel Molotov

Céu, OQuadro, Ava Rocha, Boogarins, Giovani Cidreira, Ventre, Bagum e Lívia Nery
Data: 14/01/2017
Horário: a partir das 17h (Sábado, dia 14 de janeiro de 2017, a partir das 17h.
Local: Museu Du Ritmo (Travessa do Cais do Ouro – Comércio), em Salvador.
Ingressos: R$ 40 (inteira), R$ 30 (social) e R$ 20 (meia-entrada).
À venda pelo site www.sympla.com.br | Ingresso social – Para ter direito a ingresso pelo valor Social, é preciso doar um livro infantil (não-didático) no dia do evento. As doações serão entregues após o evento à Biblioteca do Lalá no Rio Vermelho.