Bancos e Administradoras de cartão já aceitam nome social

Comportamento, Social
11 de novembro de 2016
por Genilson Coutinho

Se existe um grupo geralmente pouco engajado em questões sociais e humanitárias são as instituições financeiras como os bancos e administradoras de cartão. E é de se comemorar que até eles já estejam aderindo ao uso do nome social, uma demanda fundamental para a afirmação e convívio social de transexuais e travestis.

“Os clientes começaram a solicitar e pensamos: por que não?”, conta Cris Junqueira, cofundadora do NuBank, administradora de cartões que assim como Itaú Unibanco e Santander já aceiram o uso do nome social. Ela explica que a checagem de documentação é feita com base em CPF e nome da mãe, dados que não mudam com a variação do registro civil para o nome social.

O uso do nome social por travestis e transexuais já é aceito na administração pública federal desde abril deste ano, quando a então presidente Dilma Rousseff assinou decreto, mas não há ainda determinação para que instituições privadas aceitem.

E mesmo com o decreto, a Caixa Econômica Federal, que é um banco público não permite a adoção de nome diferente do que consta do documento de identidade. Em nota, a instituição justifica seguir resolução do Banco Central, que “proíbe a abertura de contas com nome abreviado ou alterado”.