Azul é o novo preto na estreia cinematográfica dos Smurfs

Sem categoria
5 de agosto de 2011
por Genilson Coutinho

Toda criança da década de 80, deve ter ouvido falar nas criaturas azuis que moram em uma floresta, vivendo em paz com a natureza e em comum divisão do que se produz. Provavelmente as crianças do século XXI também tenham ouvido falar nas tais criaturas, mas irão certamente associá-las ao planeta Pandora e aos Na’vi. Esses pequenos seres, no entanto, são a razão do lançamento do longa-metragem Os Smurfs, grande sucesso do passado que irá conquistar a nova geração.

Criados pelo belga Peyo, cartunista e ilustrador, os smurfs se transformaram em quadrinhos e desenho animado nos anos 80. Após um longo hiato, eles retornam para interagir com humanos e desbravar a cidade de Nova York, no filme que será lançado a partir do dia 05/08 (amanhã) em território nacional. O longa produz um efeito nostálgico para quem acompanhou os desenhos quando criança e ao mesmo tempo tenta seduzir o exigente público atual com gráficos em 3D e cenas que mesclam o universo da animação com a paisagem urbana.

O início do filme segue a ambientação do desenho animado: um vilarejo medieval em segundo plano, a cabana do feiticeiro Gargamel no alto de uma colina, e a vila dos smurfs, retratada com tantos detalhes que deixaria até Peter Jackson orgulhoso. E assim como a paisagem, o enredo se mantém: o feiticeiro e vilão Gargamel tenta encontrar a vila dos smurfs com o objetivo de extrair a essência dos pequenos para obter mais magia. O empecilho? As criaturas azuis usaram da sua magia para se esconder do mundo exterior, inclusive do vilão e do seu comparsa, um gato laranja chamado Cruel.

O longa começa com uma boa narrativa, mas acaba caindo em clichês no momento da procura de Gargamel. Como nos quadrinhos de Peyo, cada smurf possui uma personalidade – igual aos anões da Branca de Neve – e recebe seu nome baseado em suas características. Um smurf inocente, mas completamente desajeitado, chamado Desastrado acaba guiando um grupo deles por um portal até a cidade de Nova York, arrastando também Gargamel e seu gato.

O clichê está justamente na passagem do mundo fictício para a cidade norte-americana. Alguns filmes que já tentaram a fórmula, e acertaram com sucesso, foram Kate & Leopold em 2001 e Encantada em 2007, assim como muitos outros. Essa transição ocorreu provavelmente para dar mais agilidade à narrativa e para adicionar elementos mais próximos a realidade dos grandes centros urbanos, e felizmente consegue também superar o status de imitação, criando um estilo próprio.

Em Nova York, os smurfs Desastrado, Papai Smurf, Smurfette, Ranzinza, Gênio e Gutsy (nome em na versão em inglês) conhecem Patrick e Grace, interpretados por Neil Patrick Harris e Jayma Mays respectivamente. Num primeiro momento, Patrick não deseja ajudar os pequenos a voltar para a casa, mas acaba sendo convencido por Grace. Em meio a perseguições e cenas cômicas, os smurfs ensinam ao casal que uma família deve respeitar e aceitar todos os seus membros, por mais diferentes e especiais que eles sejam, grande lição a ser aprendida pelas famílias atuais.

Do outro lado da cidade, Gargamel se alia a Odile e a Henri, uma grande executiva da empresa de cosméticos Anjelou e seu assistente executivo respectivamente. Quem interpreta o papel de Odile é Sofía Vergara em sua melhor atuação até hoje e o de Henri é Tim Gunn, que presta uma homenagem ao reality show Project Runway que ele mesmo apresenta. Esses dois atores conseguem capturar o espírito cômico do filme, deixando de ser meros coadjuvantes para alcançarem a posição de elenco principal.

Mesmo com um texto e atuações sólidas e agradáveis, que certamente irão conquistar toda a família, o longa peca em duas situações: uma delas é a transformação do vilão em uma caricatura, uma personagem superficial que só preenche os momentos engraçados, e que esquece por certas vezes de complementar a construção do enredo e a outra situação está na inserção do smurfês, linguagem proveniente dos smurfs, que nos primeiros minutos do filme é divertido, mas que se torna irritante depois de algum tempo. Relevando essas duas características, o filme Os Smurfs é diversão garantida e uma bela homenagem a Peyo e suas criaturinhas azuis.

O filme chega as telas nesta sexta feira 5 de agosto.

Por Bira Vidal Jornalista – Jornalista

Jornalista formado pela Cameron University no estado de Oklahoma, Estados Unidos. Apaixonado por comunicação política, decidiu voltar ao Brasil para se dedicar ao Direito, onde atualmente cursa na Universidade Federal da Bahia. Fascinado por artes e culturas, passa maior parte do tempo entre filmes, livros e música brasileiros e estrangeiros. Pretende se aprofundar nos instrumentos da comunicação usados na política, e vice-versa.