Autoridades egípcias prendem participantes de ‘casamento gay’

Comportamento, Social
8 de setembro de 2014
por Genilson Coutinho

caamento

Sete homens que aparecem em um vídeo, no qual supostamente estariam participando da comemoração de um ‘casamento gay’, foram presos pela polícia egípcia, informou a agência estatal de notícias Mena. Outros dois homens ainda são procurados pelas autoridades.
O vídeo, postado no YouTube, parece mostrar um grupo de homens que comemoram um casamento em um barco no Nilo. Os participantes são acusados de incitar a libertinagem e minar a moral pública.
A promotoria pública informou em comunicado na noite de sábado (6), que a comemoração ocorreu em abril, mas a filmagem se popularizou em agosto, fazendo a polícia tomar medidas para identificar os participantes. O comunicado afirma que as imagens são “humilhantes, lamentáveis e irritantes a Deus”, concluindo que se trata de um ato criminoso a ser investigado. O promotor ordenou à polícia a prisão dos participantes e um exame físico em todos os acusados, de modo a apresentar queixa contra eles por incitar a libertiagem e difundir imagens que violam a decência pública.
O casamento gay não é legal no Egito. As filmagens que viralizaram em sites de mídia social no mês passado causaram polêmica. Embora a homossexualidade não seja ilegal no Egito, a discriminação é grande. Prisões de homens gays, ocasionalmente, provocam alarde. Eles são acusados de libertinagem, imoralidade e até mesmo blasfêmia, atraindo críticas de grupos de direitos humanos.
A maior repressão aos homossexuais no Egito ocorreu em 2001, quando a polícia invadiu uma boate chamada Queen Boat. Mais de vinte pessoas foram condenadas a mais de três anos de prisão.

Do G1