Ativistas parabenizam Associação da Parada LGBT+ pela escolha do tema HIV/Aids em 2021

AIDS em pauta, Comportamento, Social
13 de janeiro de 2020
por Genilson Coutinho

A Parada LGBT de São Paulo, a maior do mundo, definiu que o tema de 2020 será “Democracia”. Os recentes ataques á comunidade LGBT e as eleições de 2020 foram os principais motivos que levaram o tema a se tornar vencedor. A outra proposta que estava concorrendo era o tema HIV e aids,  mas decidiram deixar para o ano que vem, já que em 2021 completam-se 40 anos do início da epidemia da aids no mundo.

Para que essa escolha fosse feita, o diretor de cinema, responsável pelo filme Carta Além dos Muros, iniciou, alguns dias antes da decisão, um movimento nas redes sociais pedindo para que HIV/aids se tornasse o tema da Parada LGBT de 2020. “Entendendo hoje que a aids é o que mais mata nossa comunidade, ao menos 3.500 pessoas por ano, achamos que não há tema mais importante que esse. Outro tema discutido nas reuniões foi a Democracia, obviamente não dá para negar a urgência de discuti-la também, por isso, sugerimos o tema ‘Democracia é Acesso! LGBT + Prevenção e Tratamento para o HIV e a Aids.’ Vamos para a rua, vamos exercer e lutar por nossa democracia com o tema da aids e do HIV. Além das mortes, esse tema traz muito estigma para quem vive com HIV ou para quem vive com aids!”

“Tratar o HIV e a aids como tema central na maior parada LGBT do mundo é de extrema importância. Estima-se que um em cada cinco homens gays e HSH (homens que fazem sexo com homens) viva com HIV no Brasil; e que a prevalência do HIV entre travestis e mulheres trans seja superior a 30%, disse nota do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids.”

Veja como a decisão repercutiu entre ativistas do Movimento de Aids e LGBT+:

Rodrigo Pinheiro, presidente do Fórum de ONGs Aids de São Paulo: “Acho que extrema importância a discussão que teve nesse começo de ano. O André Canto fez uma mobilização fantástica em relação a isso, junto a vários movimentos tanto de aids, quanto LGBTs e também com o governo e agências como o Unaids. Isso pra mostrar a importância de colocar visibilidade nesse tema em todas as discussões, principalmente na maior Parada do mundo que a aids ainda é um problema de saúde pública. O governo não entende a importância de você dar visibilidade a uma patologia (não só à aids, mas também à tuberculose e às hepatites). Nós esperamos que a direção da Parada não mude esse tema para 2021 e que não tenha, nos bastidores, um revés dessa decisão. Gostaríamos que fosse esse ano, mas sabemos que é difícil essa pauta para o Movimento Gay. Foi uma grande conquista e parabéns a todos que estiveram envolvidos nessa luta.”

Toni Reis, presidente da Aliança Nacional LGBTI: “Acho que foi bacana a escolha do tema nesses moldes porque precisamos preservar primeiro a democracia e depois enfrentarmos os problemas. Foi estratégico. Precisamos poder falar de prevenção combinada principalmente. Não podemos dar uma possibilidade só. Isso se soma com a atitude da Parada.Não podemos ficar parados, tem que fazer o trabalho de prevenção e fazer uma forma que as pessoas tenham adesão ao tratamento, o que também é fundamental para alcançar a meta 90-90-90. A gente tem que mostrar para as pessoas que testagem é uma forma de prevenção. Além disso não podemos esquecer as outras Infecções Sexualmente Transmissíveis. Falar que a camisinha é uma boa forma de prevenção , mas que existem outras opções. Precisamos divulgar este cardápio.” 

Américo Nunes, coordenador do Movimento Paulistano de Luta Contra Aids: “O tema Democracia/HIV e Aids perdeu a disputa em uma votação acirrada para o tema Democracia. Isto reflete o quanto a aids está distante nas discussões políticas da comunidade LGBTQI+, mesmo com a publicação do vídeo com excelentes argumentos e com milhares de visualizações e compartilhamento em âmbito nacional não foi o bastante para sensibilização dos envolvidos no processo de votação. Contudo foi importante a reflexão e aproximação junto aos coordenadores e membros da Associação da Parada do Orgulho GLBT de São Paulo. Conforme publicação em nota da Associação teremos HIV/aids como tema da 25ª Parada 2021 e promessas de ações durante o ano 2020. Isto é muito positivo e juntos poderemos somar esforços para que a comunidade LGTQI+ seja menos afetada pelas infecções sexualmente transmissíveis, assim como saiam do status de população chave e contribuam ainda mais para o fim da epidemia. É fato que a Parada LGBTQI+ de São Paulo é referência para outros estados, espero que possa reverberar a temática para 2021. O tema Democracia escolhido para 2020 reflete as demandas da comunidade, que são várias por sinal. Direta e indiretamente estamos dispostos a somar esforços e como sempre a lutar por esta causa que também e de todxs pela democracia, direitos humanos e solidariedade.”