Ativista é alvo de agressão homofóbica em SP

Notícias
22 de fevereiro de 2016
por Genilson Coutinho

O artista e ativista Dudu Quintanilha foi agredido na terça-feira 9, quando saía de um bloco de carnaval em São Paulo.

Quintanilha, que preside o MEXA – Movimento e Encontro da Diversidade LGBT, que integra Fórum LGBT da População em situação de rua, foi agredido a pauladas e socos por quatro pessoas na Praça Roosevelt, região central da capital paulista.

Segundo o G1, na noite da agressão, choveu muito e Dudu conta que emprestou seu short e regata para uma amiga que perdeu a fantasia e precisava entrar no táxi. Ele ficou de cueca e voltava para casa quando foi atacado pelo grupo.

“Primeiro levei uma paulada, depois socos. Fiquei no chão, consegui ver que tinha três homens e também uma mulher. Me xingaram de viado, de filha da puta, como se eu estivesse faltando com respeito”, afirmou.

Dudu disse que foi à Santa Casa, no bairro de Santa Cecília, onde levou quatro pontos no olho e três no queixo. Na saída do hospital, uma amiga que o acompanhava chutou um saco preto e viu que era a câmera fotográfica que Dudu usa profissionalmente. A vítima disse que conseguiu recuperar a câmera que estava com um morador de rua.

“Você percebe quando a pessoa vai te roubar, é ladrão. É diferente de quando vem gritando com um pau e uma pedra”, disse Dudu que concluiu que foi vítima de crime de homofobia.

“Fiquei muito triste, chorei muito. Chorei a noite inteira. Depois, fiquei dois dias sem sair de casa”, completou. Dudu conta que fez boletim de ocorrência no 4º Distrito Policial (DP), na Consolação, mas diz que foi registrado apenas como roubo, sem mencionar que ele havia sido xingado. Depois, ele foi orientado a registrar boletim de ocorrência no Delegacia de Polícia de Repressão aos Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi).

“Lá no Decradi me disseram que há grupos que atacam gays na Augusta e na Roosevelt durante o carnaval”, disse.

Do parou Tudo