Artistas e coletivos de artes cênicas ocupam o Dois de Julho

Sem categoria
15 de outubro de 2012
por Genilson Coutinho


O bairro do Dois de Julho será ocupado por artistas e coletivos de teatro e performance de 19 a 27 de outubro. Trata-se do Empuxo – Zona de Encontro de Artes Cênicas, que consiste numa celebração da cena artística emergente da cidade de Salvador. Durante os dias do evento, onde diversos artistas realizarão apresentações, exposições, performances, entre outras formas de expressão artística. Serão ocupados centros de cultura, casas, colégios, bares, ruas e praças do bairro já conhecido pela sua efervescência cultural.

Empuxo é, sobretudo, um espaço aberto a diálogos e trocas, em que serão realizados debates, oficinas, workshops e festejos durante ininterruptos nove dias de pulsante aglutinação artística/cultural. De acordo com Laís Machado, atriz e membro do Teatro Base, um dos coletivos organizadores do evento, o nome Empuxo faz evoca o principio da Física, que afirma que a soma de todas as forças que atuam sobre um corpo imerso na água constituem um força pra cima que faz esse corpo emergir. A intenção é que vários grupos juntos, de forma colaborativa e horizontalizada possam afirmar o poder de articulação das artes cênicas, mas também de ocupação do Centro Antigo de Salvador, mais especificamente o bairro do Dois de Julho.

Segundo Olga Lamas, do Núcleo Vagapara, o bairro já conta com a presença de artistas ocupando espaços, a exemplo do Kryacura e da Casa Preta, ambos locais gerenciados e sediados por grupos artísticos, com atividades culturais próprias. “É um bairro boêmio, cheio de tradição e serve de moradia para inúmeros artistas de artes cênicas” acrescenta a atriz. Outro dado é que durante os dias do Empuxo, a programação cultural irá se espalhar nos espaços do Dois de Julho, não se restringindo ao largo principal e estimulando que o público se desloque e transite pelas ruas do bairro.

Participam do Empuxo: Alvenaria de Teatro, Caixa Aberta, Cia. de Revista da Bahia, Coletivo Duo, Coletivo Moiras, JOGO, Mar de Palhaços, Nariz de Cogumelo,Teatro Saladistar, Núcleo VAGAPARA, Panacéia Delirante, Teatro Base, Teatro da Queda, Núcleo Viansatã, Aishá Roriz, Carlos Alberto Ferreira, Cristiane Barreto, Erick Saboya, Frank Handeler, Hayaldo Copque, Raiça Bomfim, Saulo Moreira, William Gomes, Mônica Santana, Mar de Palhaços, Núcleo a-com/tece, Moara Rocha.

Programação
MESAS DE DEBATES:

Formato:

As três mesas serão realizadas no formato de fóruns participativos e compostas por profissionais e entidades que lidam diretamente com cada tema. O mote deste formato parte da seguinte questão: como transformar o espaço de debate em um acontecimento em que as partes performam trajetos inventivos, realizando movimentos de transversalização do conhecimento?

Tema: Gestão e financiamento das artes e suas implicações estéticas

Trata-se de um fórum que será disparado pela atuação dos convidados, a fim de debater acerca do funcionamento atual das políticas públicas de financiamento em cultura e, reflexivamente, criarmos um contorno local das implicações entre formato, processo e produto cultural na cidade de Salvador.

Data: 23/10 – terça-feira
Duração: 17h-19h
Mediador: Diego Pinheiro
Convidados: Alexandre Molina / Gordo Neto
Local: Casa Preta

Tema: A composição cartográfica de articulações em rede

Trata-se de um fórum que será disparado pela atuação dos convidados, a fim de gerar um mapeamento de diferentes modos de atuação em gestão baseada no tema redes. Com quais critérios de atuação os diferentes grupos, pessoas e entidades têm participado de movimentos que se aproximam da autogestão através da conexão com o outro? A proposta do debate é, em simultaneidade às falas dos convidados e participantes, performarmos essa cartografia através da materialização visual das falas em um extenso suporte (papel ou tecido).

Data: 24/10 – quarta-feira
Duração: 17h-20h
Mediador: Daniel Guerra
Convidados: Cátia Garcez (representante RMTA)/ Jamira Muniz (Representante de Alagados) / Naia Prata (representante do Rua das Artes)
Local: Casa Preta

Tema: Bairro Dois de Julho e intervenções artísticas

Trata-se de um fórum que tem como objetivo gerar um estado de ativação das questões envolvidas durante o processo de mudança do nome do bairro, buscando ressaltar a composição do movimento dado pela intervenção de artistas locais do bairro. Além disso, há a finalidade de debater sobre a movimentação cultural gerada pelo Empuxo – zona de encontro de artes cênicas em um movimento de compartilhamento entre artistas e comunidade.

Data: 25/10 – quinta-feira
Duração: 17h-19h
Mediador: Alex Simões
Convidados: Ivana Shastinet (representante do movimento Nosso Bairro Dois de julho)/ D. Carmen (presidente da Associação de Moradores) /Fernanda Paquelet (artista)

Local: Coreto do Dois de Julho

SERVIÇO:

O que: Empuxo – zona de encontro de artes cênicas.

Quando: De 19 a 27 de outubro de 2012, em diversos horários.

Onde: Bairro Dois de Julho (Casa Preta, Espaço Kryacura, Clube Fantoches, Colégio Ypiranga, coreto, ruas e bares do bairro) e Praça do Campo Grande.

Quanto: Gratuito.