Arembepe recebe primeiro encontro LGBT

Sem categoria
30 de janeiro de 2012
por Genilson Coutinho

A juventude Adé em parceria com o grupo Realidade Colorida de Camaçari, convidam  toda comunidade da cidade e região para o 1º encontro de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais, transgêneros e simpatizante de Arembepe. A manifestação ocorre no próximo domingo, dia cinco de fevereiro na Praça dos Coqueiros, a partir das 15h.

Estas mobilizações já aconteceram no bairro da Barra e no Monte Serrat em Salvador. Com presença marcante de jovens e adolescentes, o movimento Liberty LGBT é um protesto descontraído contra a discriminação sofrida por homossexuais. As redes sociais continuam a ser a principal ferramenta da galerinha colorida para chamar os amigos, divulgando o ato. No dia 15/02 se reuniram na Ponta do Humaitá. Edson que compareceu pela primeira vez ficou surpreso com o potencial de agregação dos organizadores  ” vocês só utilizaram a rede social? É muita gente!”, indagou a um membro da Adé Diversidade.

Geverton Lima, coordenador  estadual da Juventude Adé, destaca que os encontros tem a importância de tirar os gays dos guetos e estimular que ocuparem cada vez mais  espaços tradicionalmente frequentados por héteros. “Queremos todos juntos e misturados sem preconceito”, diz em tom irreverente Danilli Magalhães, presidente do grupo Realidade Colorida.

 

A idéia mesmo é renovar o movimento LGBT na Bahia. Assim, marcam presença num formato diferenciado dos eventos gays tradiconais, como as paradas, para atrair o público que não costumam comparecer a estas, nem  frequentam ambientes específicos para gays. José Deldado da coordenação de comunicação do grupo jovem da Adé, acredita que o movimento tem dado certo e atraído cada vez mais pessoas por que consegue aproximá-las,  estabelecendo laços de amizade num ambiente sem esteriótipos e agradável,  levando àqueles que ainda “estão no armário” a sentirem-se mais à vontade. ” Muitos só se conheciam através da internet, agora estão passando da amizade virtual para o mundo real. Daí quando se reunem é como fossem velhos conhecidos. É só alegria”, observa Delgado.

Camaçari, Társila,  Luana Vaneska, de Salvador, o grupo de dança Valet”eam e o Dj Bruno Menezes, animaram o evento. Ainda esta previsto uma homenagem a Yemajá, com entrega de oferendas.

Outra preocupação das entidades envolvidas é com o lado social, e solicitam que a comunidade LGBT leve 1kg de alimento não perecível para doar ao abrigo de idosos São Francisco de Assis.