Notícias

Aplicativo de relacionamento gay, Blued celebra o amor em tempos de isolamento social e preconceitos

Genilson Coutinho,
28/06/2021 | 16h06
Blued

Para comemorar o mês do Orgulho, plataforma digital oferece espaço inclusivo para celebrar todas as formas de amor

O Blued, aplicativo gay voltado para o universo masculino, que conta com mais de 60 milhões de usuários em todo o mundo, acaba de lançar nas suas redes sociais a sua Campanha “Diversidade e Conexões Reais”, para celebrar em junho, no Mês do Orgulho Gay, a autoaceitação e conquistas da comunidade e demais siglas que representam as minorias sexuais e de gênero. O aplicativo, que apresenta funções variadas para que seus usuários possam se conhecer e interagir, tem como objetivo ser um espaço de apoio e confiança, com respeito a diferentes identidades de gênero, pronomes, sexualidades e histórias.

A campanha “Diversidade e Conexões Reais” faz parte de uma iniciativa mundial do Blued para exaltar o respeito às diferenças e enaltecer as formas de amor por vezes consideradas “fora dos padrões”. Para o Blued, as pessoas representadas pelo movimento têm feito uma longa jornada rumo à inclusão e igualdade de direitos, em busca da liberdade para amarem sem julgamento e discriminações, reivindicando maior representatividade na sociedade que, apesar de alguns avanços, ainda tem espaço para aumentar a visibilidade das pessoas LGBTQIA+.

Em tempos de isolamento social, uma das contribuições do Blued é a celebração do amor livre e do movimento de inclusão, em contraponto a iniciativas de rejeição e preconceituosas, muitas vezes existentes dentro da própria comunidade, relatadas por diferentes grupos que compõem a sigla.

Lançado no Brasil no segundo semestre de 2020, em meio à pandemia, o Blued tem incentivado o encontro de pessoas reais no aplicativo, para que se conheçam, criem amizades e se relacionem. Com recursos de geolocalização e diversos meios para facilitar a interação, o usuário do aplicativo também pode denunciar discriminação e comportamentos abusivos, para a sua segurança e privacidade, assim como dos demais participantes.

Nesse contexto, o Blued comemora o crescimento do aplicativo entre os brasileiros. Embora não revele dados da operação local, o Blued está otimista em relação às perspectivas de crescimento. Essas expectativas têm respaldo em pesquisas de mercado. Dados divulgados pela Pew Research Center, de 2020, mostram que a pandemia acarretou um aumento no uso de aplicativos pelos brasileiros entre 30% e 400% em alguns estados brasileiros. Além disso, o Brasil é o segundo país no ranking de nações com maior crescimento do mercado mobile, atrás apenas da Indonésia.

Para a BlueCity, empresa mãe do Blued, a construção de um ambiente receptivo e confortável começa com o protagonismo daqueles que não possuem voz ativa na sociedade, além do enaltecimento individual de cada um, valorizando as diferenças e a quebra de padrões que vão contra ideais de amor e aceitação. O Blued foi o primeiro aplicativo voltado ao público gay, no Brasil, a permitir o acesso de usuários de dispositivos IOS e Android a utilizar chat de voz em grupo, a partir de abril deste ano, quando os brasileiros ainda se deparavam com restrições impostas por outros aplicativos. Além disso, o Blued tem recursos como videochamadas, lives e bate-papos privados.

Neste Mês do Orgulho, o usuário está tendo a oportunidade de acessar a uma série de shows de dançarinos, promovidos diariamente, a partir das 22h, até 29 de junho.

A plataforma garante que as minorias mais vulneráveis à violência e violações de direitos humanos também consigam se reunir em um ambiente seguro e controlado, com perfis verificados e ferramentas que asseguram conexões reais e troca verdadeira, mesmo à distância.

O Blued foi fundado em 2000, quando Baoli Ma, um policial gay dentro do armário, fundou um dos primeiros e principais fóruns online da China voltados para o público LGBTQIA+, o Danlan.org. Depois, ao deixar seu cargo na polícia chinesa, dedicou-se totalmente às atividades de conscientização social voltadas para a população LGBTQIA+, em um país conhecido por ser conservador dos costumes e morais. A BlueCity, empresa-mãe do Blued, foi fundada no mesmo ano e o aplicativo Blued foi criado no ano seguinte, expandindo ao redor do mundo em 2015. Em julho de 2020, a BlueCity foi listada na NASDAQ, tornando-se a primeira empresa pública de rede social com foco no público LGBTQIA+. Atualmente, conta com mais de 54 milhões de usuários internacionais, com média de 6,4 milhões de consumidores ativos mensalmente. Com cerca de 500 funcionários, possui operações locais em diversos países como China, Brasil, Índia, Japão, México, Filipinas, Coréia do Sul, Tailândia, EUA e Vietnã