Antonio Guilherme, de Rondônia, é eleito o Mister Brasil Diversidade

Sem categoria
24 de junho de 2011
por Genilson Coutinho

A noite desta quinta-feira (23) ficará marcada para sempre na vida de Antonio Guilherme, de 28 anos. Representante do estado de Rondônia, o rapaz levou para casa o prêmio de R$ 5 mil ao disputar o título de Mister Brasil Diversidade 2011, no Teatro Brigadeiro, em São Paulo.

Apresentado por Angélica Morango e Mateus Carrieri, o concurso começou pouco depois das 22h com os 14 candidatos no palco, ao som de Katy Perry. O hit “E.T” foi embalado com coreografias que permitiam aos meninos mostrar toda sua desenvoltura e carisma. Durante o desfile moda praia, os jurados se animaram ao comentar os benefícios que uma bonita sunga da ES Colletion pode trazer aos rapazes. Em clima descontraído, o público concordava com o júri ao constatar que, por trás de um bom tecido, havia bons “dotes”.

E falando em jurados, dentre todos, Léo Aquilla era a mais assanhada. A performer disparou boas cantadas em Carrieri, com quem já trabalhou no teatro. Os dois chegaram a dar um selinho no palco. Silvetty Montilla, que dessa vez estava como convidada, foi notada pela plateia, que gritou seu nome sem parar pedindo para que ela subisse ao palco. Com seu jeito debochado, Silvetty aproveitou para fazer graça com os candidatos dizendo que “não importa o tamanho da neca, se ela não for torta!”.

Deixando a brincadeira um pouco de lado, o concurso tomou tons mais sérios ao exibir a campanha “Basta de Homofobia”. O vídeo, com depoimentos pedindo o fim do preconceito, foi gravado pelos candidatos e exibido para o público através de um telão.

Em seguida, Angélica Morango e Mateus Carrieri chamaram ao palco os escolhidos a Mister Simpatia e Mister Popularidade, votação feita pelo site Vírgula na qual o público escolhia seu representante preferido. O amazonense Filipi Mafra, de 23 anos, foi o mais votado entre os candidatos a Mister Simpatia. Já Hugo Ribeiro, de Goiás, levou a votação no site Vírgula ocupando o posto de maior popularidade.

Os shows da noite ficaram por conta das cantoras Natália Damini e Nick Valentine, que fizeram um dueto cantando “S&M, de Rihhana. Logo depois, os apresentadores anunciaram os oito candidatos mais votados que permaneceriam na disputa: Antonio Guilherme (Rondônia), Henrique Queiroz (Santa Catarina), Diego Possadas (Rio de Janeiro), Paulo Fragoso (Paraná), Bruno Castro (Minas Gerais), (São Paulo), Hugo Ribeiro (Goiás) e Leandro de Jesus (Bahia).

Para a próxima etapa, os candidatos teriam que responder uma pergunta feita pelo jurado sorteado. Mateus Massafera, repórter do programa Super Pop!, foi o primeiro a perguntar ao candidato Leandro de Jesus, da Bahia, o que ele pensava a respeito da Parada Gay e sua importância. Ao longo da competição, também foram questionadas a importância da união civil para casais homossexuais, a presença de um gay assumido no governo federal e estadual, entre outras.

Após a bateria de perguntas, chegou a vez do momento mais esperado da noite. Angélica Morango e Mateus Carrieri se preparavam para anunciar o terceiro lugar do concurso Mister Brasil Diversidade. Henrique Queiroz, de Santa Catarina, ocupou a posição e ganhou um cruzeiro nacional com direito a acompanhante.

Antes de anunciar o vencedor, o que não se esperava, aconteceu: empate técnico. Os candidatos Antonio Guilherme, de Rondônia, e Bruno Castro, de Minas Gerais, empataram com 67 pontos. Restou então aos jurados a difícil tarefa de escolher entre os dois em votação aberta. Com 6 votos a 2, Antonio Guilherme (RO) faturou o prêmio de R$ 5 mil e recebeu a faixa de Mister Brasil Diversidade pelas mãos de Vitor Abdalla, vencedor da edição 2010. Com o segundo lugar, Bruno Castro ganhou uma viagem para Buenos Aires, com direito a acompanhante, pela empresa Mundo Pride.

Bastante surpreso e emocionado, o vencedor Antonio Guilherme contou que com o valor do prêmio irá investir nos estudos e aproveitar a exposição que o cargo de Mister Brasil Diversidade lhe oferece para alavancar sua carreira como modelo. Sem esquecer, claro, a responsabilidade que terá agora com a comunidade LGBT.

Fonte: MD

Foto: divulgação