Andar com “viado” é queimação

Sem categoria
5 de dezembro de 2011
por Genilson Coutinho

Expressão pode revelar existência de neurose e distúrbio sexual

Andar com “viado” é queimação. A palavra queimação tem vários significados na língua portuguesa atual podendo estar relacionada à azia, mal estar no estomago ou garganta. Mas na forma que a frase ta colocada refere-se à má fama que uma pessoa pode ter em andar junto com outra.

Tem um exemplo para essa afirmação que é o seguinte. Fulano tem fama de ser ladrão e pedófilo, então é queimação total andar com ele. Nesse caso “fulano” apresenta dois comportamentos passíveis de punição tanto pela sociedade quanto pelo Código Civil. No meu ponto de vista essa afirmação de “queimação” aqui é muito bem empregada porque esses dois comportamentos são desprezíveis, nocivos e indivíduos com essas características não estão hábeis a vida em comunidade.

Eu não sou psicólogo, sou da História por formação, mas confesso que a psicologia me fascina muito. Estudei a matéria na época da faculdade apenas como requisito de aquisição de notas, me aprofundei o que pude como ferramenta para o meu trabalho social como ativista em gênero e orientação sexual. Esse conhecimento foi muito importante para a observação e leitura social dos comportamentos, das falas e dos gestos das pessoas envolvidas nas minhas ações de combate aos estigmas, discriminações e violência sexual.

A frase que é citada com relativa freqüência apresenta um caráter de histeria explicito porque no meu ponto de vista ela apresenta uma problemática mal resolvida em relação ao sexo, práticas sexuais e desejos inconscientes por quem pronuncia como ação de defesa de algo que trás consigo no manejo com “viados” e elementos relacionados à sua cultura. Em seus estudos comportamentais Freud quando abandona a técnica da hipnose e da pressão e passa a pedir aos seus pacientes que falem de forma livre e essa associação livre levaria a um encadeamento em direção da percepção da sobredeterminação e a histeria.

Freud publica com outro colega estudos “Sobre o mecanismo psíquico dos fenômenos histéricos”, e em seguida em 1895 outro texto “Estudos sobre a histeria” onde aborda diversos casos. Passa sustentar a hipótese de que há uma questão sexual na histeria ele afirma a existência de uma neurose complexa caracterizada pela instabilidade emocional dos indivíduos. Essa situação manifesta-se através de sintomas físicos e essas pessoas perdem o autocontrole reproduzindo comportamentos e expressões como “Andar com viado é queimação” isso quando não fazem uso da violência em situação psicológica de pânico.

Ainda com base em Freud que foi além do domínio da histeria ele observou que não seria uma excitação emocional qualquer que estava por trás dos fenômenos da neurose, mas uma excitação de natureza sexual. Como proposta de superação ele propõe o estudo da vida sexual focando nos valores e regras sociais, consideradas por ele na época como rígidas impostas à sociedade.

A partir da analise de Freud e no meu ponto de vista tudo ta ligado ao sexo e a vida sexual considerada “problemática” ou mal resolvida das pessoas. A utilização dessa expressão “Andar com viado é queimação” é a concretização pela verbalização da existência de uma neurose ou mesmo de um comportamento histérico que deve ser tratado com métodos adequados ao tratamento da saúde mental.

Por Marcelo Cerqueira

Presidente do GGB