Agosto será o mês do cinema francês em 34 cidades brasileiras

Sem categoria
24 de julho de 2012
por Genilson Coutinho

François Cluzet e Colin Firth: mesmo personagem nas duas versões de Intouchables

A cinematografia francesa irá tomar conta das salas de cinema de 34 cidades brasileiras, incluindo Salvador de 17 a 23 de agosto. É o Festival Varilux de Cinema Francês 2012, que chega a sua terceira edição com 40 salas de cinemas e com a expectativa de alcançar a 70 mil espectadores. Primeiro festival de cinema do Brasil realizado em escala nacional com projeções simultâneas, a edição 2012 conta com o apoio do departamento cultural da Embaixada da França e das Alianças Francesas presentes em todo o país, sendo produzido pela Bonfilm e conta com o patrocínio do grupo Essilor-Varilux e Allianz Seguros. Em Salvador, o Festival Varilux será abrigado pela terceira vez no Cine Glauber Rocha – Espaço Itaú de Cinema, reafirmando a parceria de sucesso.

 

Segundo Bruno Peyrefitte, diretor da Aliança Francesa de Salvador, “a expectativa é aumentar o número de expectadores com relação em 2011 e oferecer ao público o contato com o que há de melhor e mais recente na produção cinematográfica francesa, exibindo obras inéditas. O Festival Varilux trará filmes de diferentes gêneros e deverá atender a gostos variados”. Para o cinéfilo e coordenador do Espaço Unibanco – Cine Glauber Rocha, “este é um festival que ganha força a cada ano que passa, já se constituindo parte integrante do calendário cultural da cidade. Estamos felizes e honrados em manter essa parceria!”.

Marques lembra que a cinematografia francesa é uma das mais importantes em todo o mundo. “Historicamente, conhecemos muito bem suas contribuições para essa arte que ainda é tão recente, o cinema. Mas, é importante ressaltar como o governo francês continua investindo e acreditando em seus cineastas, contribuindo para que a hegemonia de Hollywood seja confrontada fortemente. Nos últimos, tivemos filmes que fizeram muito sucesso junto ao público da França e do mundo todo, bem como verdadeiras obras que ajudam a renovar a linguagem audiovisual” acrescenta.

Como é perfil do festival, a curadoria presenteia o público com a de seleção de 10 a 15 filmes franceses inéditos, representando a diversidade da produção recente, entre comédias, filmes de ação, dramas psicológicos, filmes de autor e filmes de animação. O festival apresentará também um clássico da cinematografia francesa.

Filmes premiados – A seleção 2012 traz doze filmes que representam o melhor da produção cinematográfica francesa recente. Entre eles, o filme mais visto na França em 2011, Intocáveis (Intouchables) que alcançou a marca de 20 milhões de espectadores, além dos prêmios Césars 2012 (Melhor Ator para Omar Sy) e o Festival Internacional do Filme de Tóquio. Outro destaque vai para a obra E agora para onde vamos? (Et maintenant on va où?), vencedor do Prêmio Juri Ecumênico – Menção Especial do Festival de Cannes.

Entre as produções escolhidas, haverá espaço também para o público infantil com a animação Titeuf, um longa metragem que agradou público e crítica na França, agradando a crianças e adultos. Já para um público mais Cult, a obra O Monge (Le Monge) vai despertar maior interesse. A película narra a história do pregador Ambrósio, no século XVIII e interessou a Antonin Artaud, que fez uma adaptação do romance gótico e a Luis Buñel, que              tentou adapta-la para o cinema.

O clássico escolhido na edição 2012 é o filme policial noir Técnica de um delator (Le Doulos), que completa 50 anos de rodado. O festival Varilux está feliz de presentear o público brasileiro com este grande clássico do cinema francês, por um dos diretores mais consagrados do filme noir, Jean-Pierre Melville.

Encontros e Negócios – Uma área particularmente rica em intercâmbios entre a França e o Brasil, o cinema movimenta acordos e economia criativa através de coproduções e distribuição recíproca de filmes. Essa cooperação foi especialmente forte em 2011, com as filmagens de duas coproduções franco-brasileiras emblemáticas: Rouge Brésil, que contará a história da França Antártica e de Villegaignon, e Amazonas, documentário-ficção de grande orçamento filmado na Amazônia.

Dessa maneira, a programação do Festival também inclui um encontro profissional para estimular acordos, parcerias e coproduções entre as duas cinematografias alinhando-se à perspectiva do setor audiovisual do Estado do Rio de Janeiro que trabalha para aperfeiçoar e reforçar sua especial vocação para principal polo cinematográfico da América Latina.