Adele Benzaken assume Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais no lugar de Fábio Mesquita

AIDS em pauta, Comportamento, Social
6 de junho de 2016
por Genilson Coutinho

Nesta quinta-feira (2), o Ministério da Saúde divulgou que, a convite do ministro interino Ricardo Barros, a diretora-adjunta do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais (DDAHV), Adele Benzaken, a partir de hoje, responderá pela gestão do setor, no lugar de Fábio Mesquita.

Há uma semana, Fábio anunciou seu pedido demissão, o que gerou preocupação entre muitos ativistas ouvidos pela Agência de Notícias da Aids, na última sexta-feira (27), a respeito de quem assumiria o cargo.

Segundo o DDAHV, nessa condição, a diretora-adjunta segue para Nova York, na semana que vem – ao lado da delegação brasileira –, para participar da Reunião de Alto Nível da ONU (Organização das Nações Unidas) sobre o fim da aids. O encontro será realizado entre os dias 8 e 10 de junho e reunirá líderes globais, ativistas e atores da resposta global à epidemia de aids.

Trajetória

Adele Benzaken trabalha com DST e aids, desde 1983. Médica sanitarista e pesquisadora, é graduada em Medicina pela Universidade Federal do Amazonas (1978). Possui Doutorado em Saúde Pública pela Fundação Oswaldo Cruz. Foi diretora da Fundação de Dermatologia Tropical e Venereologia Alfredo da Matta em Manaus (AM), no período de 2007 a 2010. Foi membro do “Painel de Especialistas em DST incluindo o HIV” da Organização Mundial de Saúde (OMS), de dezembro de 2008 a julho de 2013. Foi Oficial de Programa do escritório do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids no Brasil ( Unaids), de abril de 2012 a novembro de 2013.  Foi também assessora da Organização Pan-Americana para a Saúde (Opas). Tornou-se diretora-adjunta do Departamento de DST/Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, em julho de 2013.