Acusado de matar estrela do transformismo em Porto Seguro é condenado a 14 anos de prisão

Comportamento, Social
2 de setembro de 2017
por Genilson Coutinho

Réu alega legítima defesa. Polícia fala em crime passional. (Foto: Reprodução / SSP)

Após 10h de julgamento, o mecânico Luan Santos Gonçalves, suspeito de matar a facadas, em 2013, a dançarina   Lady Butterfly artista transformista e dançarina  da barraca Axé Moi  , na cidade de Porto Seguro, região turística no sul da Bahia, foi condenado, na noite da última  quarta-feira (30), a 14 anos de prisão em regime fechado. A informação foi confirmada pela assessoria do juiz responsável pelo caso, André Marcelo Strogenski.

O júri popular que condenou o acusado, realizado no Fórum Osório Borges de Menezes, em Porto Seguro, começou por volta das 11h e só foi terminar às 21h. Ainda segundo a assessoria do juiz, a decisão cabe recurso.

Após o julgamento, Luan foi encaminhado ao presídio de Eunápolis, onde já estava custodiado há três anos e nove meses.

O início do julgamento estava previsto para às 10h, mas houve atraso na transferência do suspeito de Eunápolis para Porto Seguro. Ao todo, dez testemunhas de defesa e acusação serão ouvidas.

A dançarina Lady Butterfly (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Luan está no presídio de Eunápolis desde o dia 20 de novembro de 2013, quando foi preso na cidade de Vitória da Conquista, sudoete baiano. No momento da prisão, ele tentava fugir para a cidade de Três Lagos, que fica no estado do Mato Grosso do Sul. Para a polícia, ele alegou ter matado a vítima por legítima defesa.

Laudos periciais e exames de corpo de delito, no entanto, contestaram o depoimento dele. O delegado Élvio Brandão, responsável por investigar o caso, contou na época que não havia qualquer indício de legítima defesa, pois Luan não apresentava nenhum ferimento aparente. Ainda conforme o delegado, em momento algum Luan prestou socorro à vítima. O assassinato teria sido passional.

Lady Butterfly estava em casa, no bairro de Taperapuã, no final da noite do dia 17 de novembro de 2013, quando foi esfaqueada no tórax por Luan. Mesma ferida, a vítima conseguiu ir até a rua buscar socorro.

Ela chegou a ser levada para o Hospital Luís Eduardo Magalhães, mas não resistiu aos ferimentos e morreu durante a madrugada do dia 18. Após esfaquear a vítima, o autor do crime roubou carro, celular e notebook da dançarina.

O fato levantou a suspeita de latrocínio, que foi descartada pela polícia durante as investigações. Luan chegou a confessar ter roubado os objetos para levantar dinheiro para a fuga.