ACM Neto: veja a primeira entrevista do prefeito eleito

Sala VIP
28 de outubro de 2012
por Genilson Coutinho

O novo prefeito de Salvador eleito com mais de 54% dos votos válidos, fala com exclusividade ao site Dois Terços sobre sua prioridade na gestão e dos seus planos para o turismo LGBT, além de afirmar que em seu governo há espaço para todos independente do sexo, cor ou religião. Sobre os entraves da bancada evangélica contra os direitos dos homossexuais, ACM Neto defende o diálogo entre todos. Sobre comunidade Gay ele se diz aberto para debater e construir junto com a militância políticas públicas em prol da causa.
Confira a entrevista na íntegra!

Dois Terços – Quais são suas prioridades ao assumir a prefeitura em Janeiro de 2013?

ACM Neto: Educação e saúde são apontados por todas as pesquisas como os principais problemas de Salvador, ao lado da falta de mobilidade. Em relação à saúde, vou criar 12 centros que deverão cumprir dois objetivos principais: promoção da saúde e consultas médicas, além de  realização de exames em geral. Os postos de saúde, que vão funcionar corretamente, terão diversas especialidades como ginecologia, pediatria, clínica geral, fisioterapia e nutrição. Também pretendo ampliar a cobertura do Programa de Saúde da Família, com a criação de 142 equipes. E para evitar o sofrimento daqueles que hoje precisam dormir na fila em busca de uma consulta ou exame, o atendimento será marcado por telefone na central dos postos de agendamento. Na educação, vou ampliar em uma hora a jornada diária, construir escolas em tempo integral, valorizar os professores e funcionários das unidades, incentivar cursos de pós-graduação e reformar, equipar e modernizar as escolas da rede.

DT – Este ano a travesti Paulatte Furacão assumiu pela primeira vez na historia do governo da Bahia um posto em um cargo público na Secretaria de Direitos Humanos. Haverá espaço para as transexuais e travestis em sua gestão?

ACM Neto: Desde que tomei posse pela primeira vez como deputado federal, em 2003, tenho trabalhado em favor das minorias. E não será diferente na prefeitura. O meu critério de escolha é a competência, e não filiação partidária, cor, raça, sexo ou religião.

DT – Nas gestões passadas nunca houve um diálogo com a militância LGBT. O senhor pretende se aproximar da militância? De qual maneira?

ACM Neto: Como disse anteriormente, sempre trabalhei em favor das minorias e já recebi várias homenagens dos LGBTs. É evidente que na prefeitura quero intensificar ainda mais esta parceria através do diálogo e ouvindo as reivindicações. Os LGBTs são um grupo muito representativo da nossa sociedade e merecem sempre o respeito por parte de todos nós.

DT – São Paulo, Rio e Recife já entenderam a importância do turismo GLS em suas cidades. Está no seu plano de governo alguma ação pontual para Saltur?
ACM Neto: Claro que sim. Salvador tem uma vocação natural para o turismo, embora tenha perdido espaço nos últimos anos por causa da incompetência administrativa do PT. O turismo GLS traz divisas, movimenta a cidade e merece uma atenção especial dos gestores públicos.

DT – A banca evangélica tem sido um entrave muito grande no cenário político nacional principalmente nos assuntos relacionados a comunidade LGBT. O senhor está preparado para lidar com essa bancada na câmara nas questões referente aos direitos dos LGBTs?
ACM Neto: Sim. Temos de respeitar todas as ideologias. O importante é que haja um diálogo permanente e que os avanços sociais não fiquem emperrados. Vou trabalhar em harmonia com as diferenças, como deve ser.

DT – Casamento gay, adoção, nome social e segurança LGBT estão na ordem do dia. Como o senhor tem visto essas lutas da militância?
ACM Neto: São fundamentais para o desenvolvimento da nossa sociedade. Como afirmei aqui, as reivindicações de todas as categorias têm de ser levadas em consideração pelos gestores. Cabe aos segmentos sociais lutar por tudo aquilo que acreditam.
Fotos: Reprodução/Genilson Coutinho