Abertura de festival do Goethe-Institut Salvador terá evento presencial, numa mistura de vernissage e celebração

Arte e Exposições, No Circuito
1 de outubro de 2020
por Helder Azevedo

Na abertura do “Festival Híbrido Vila Sul Multilinguagem”, realizado pelo Goethe-Institut Salvador-Bahia, será experimentado um evento presencial, com toda segurança e muita interatividade, no lançamento da exposição coletiva “Zonas Limítrofes”, que ocupará as duas galerias da instituição. Com início pontual às 19h do dia 6 de outubro (terça-feira), está preparada uma experiência singular de visitação, com duração de duas horas e meia, incluindo ações no Pátio e área externa, para celebrar o acontecimento – o café-bar Haus Kaffee estará aberto e o ingresso dá direito a dois drinks grátis. Uma cenografia decorativa trará não apenas beleza ao espaço, mas também ajudará a manter distanciamento entre os presentes. Assim como todo o festival, a ação tem o hibridismo como fundamento, numa mistura de arte, cultura, festa e (re)encontro. Ingressos devem ser adquiridos previamente, pelo valor de R$ 10, pelo link www.sympla.com.br/goethebahia.

O público, de lotação máxima de 55 pessoas, será organizado em grupos de cinco, evitando aglomerações, e se porá guiado para assistir à performance “Tropicaos”, de Rafael BQueer, que pensa o Brasil atual com referências tropicalistas. Rafael também exibe uma instalação homônima e uma ação de videomapping, esta com imagens realizadas em Salvador, pautando a desigualdade social, o racismo e a apropriação cultural da branquitude baiana que o artista percebeu em sua temporada de residência. Na mostra, com curadoria de Tiago Sant’Ana, também estarão expostas obras de Iris Helena, No Martins e Ventura Profana e uma videoinstalação sit-in com o filme “Corpo Fechado”, de Mario Pfeifer, recentemente produzida em São Paulo, que foca nas condições sociais em relação às práticas espirituais e religiosas na megalópole. Para aproveitar bem de todas as funcionalidades, solicita-se que cada pessoa tenha consigo um fone de ouvido pessoal, visto que não está permitida a distribuição deste equipamento.

Todos os protocolos de segurança e saúde determinados pela Prefeitura de Salvador serão rigorosamente seguidos. A venda de ingressos será feita exclusivamente por meio digital. Os visitantes devem obrigatoriamente estar utilizando máscaras de proteção facial e terão temperatura aferida na entrada.

Para os que preferirem acompanhar a distância, todo o evento será também transmitido ao vivo pelo YouTube (www.youtube.com/goethebahia).

Sobre o “Festival Híbrido Vila Sul Multilinguagem” – Em meio ao choque social causado pela pandemia da Covid-19, que impôs um estado de suspensão à cultura, o Goethe-Institut Salvador-Bahia busca espaço na desordem para algo diferente surgir. O “Festival Híbrido Vila Sul Multilinguagem”, que se promove como resultado do Programa de Residência Artística Vila Sul, reage ao intensivo mergulho digital que vem sendo vivenciado. Enquanto, no campo das artes, o desafio diante da impossibilidade de encontros provocou uma explosão de descobertas técnicas e poéticas, diferentes composições digitais e analógicas fizeram gerar formatos inusitados e diferentes experiências de recepção – e o híbrido aparece como conceito importante no pensar e fazer arte. O evento se conforma a isto: embora digital, segue sendo presencial e, embora presencial, ainda é digital. O hibridismo assim se revela e também é expressado na mistura de corpos, estéticas e linguagens, numa programação que acontece de 6 a 9 de outubro, com exposição, performances, intervenções urbanas e lives, em variadas opções para a fruição.

Híbrida também tem sido a experiência do atual grupo de residentes: enquanto os brasileiros – os artistas visuais Iris Helena, No Martins e Rafael BQueer e a cantora evangelista, compositora, escritora e artista visual Ventura Profana – estão fisicamente em Salvador, hospedados no Goethe-Institut, os estrangeiros estão realizando suas trocas à distância: a artista multimídia e musicista experimental Alexandra Rodríguez (Venezuela/Canadá), o dançarino João dos Santos Martins (Portugal), o artista multidisciplinar Mario Pfeifer (Alemanha) e a pesquisadora, curadora e professora Nana Adusei-Poku (Alemanha). São eles os protagonistas do festival, em cena ou nos bastidores.

O Acervo da Laje, o Haus Kaffee, o Conseil des arts et des lettres du Quebéc (CALQ) e o Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM-BA) são parceiros do evento.

Sobre o Goethe-Institut Salvador-Bahia – Instituto cultural da República Federal da Alemanha, o Goethe-Institut, fundado em 1951, se dedica a fomentar o diálogo entre culturas e é a maior instituição de ensino de alemão no mundo. Atualmente, dispõe de uma rede de 159 unidades em 98 países de todos os continentes. A unidade do Goethe-Institut Salvador-Bahia foi criada em 1962 e, desde então, promove a aprendizagem da língua alemã, divulga uma imagem abrangente da Alemanha e realiza colaborações locais, nacionais e internacionais na área da cultura, com numerosos parceiros públicos e privados. É um espaço disposto ao exercício artístico-cultural, realizando ações próprias e oferecendo suporte a iniciativas de variadas espécies. Dispõe de teatro, foyer, galerias, biblioteca, ateliês, estúdios, salas de aulas, praças, pátio e café. Após mais de meio século de atividades contínuas na cidade, iniciou, em 2016, o Programa de Residência Artística Vila Sul, com a proposta de fortalecer interlocuções entre o Brasil e demais países do hemisfério Sul a partir do acolhimento de artistas e agentes culturais de diversas áreas, linguagens e origens. Noventa residentes já experimentaram esta oportunidade.

FESTIVAL HÍBRIDO VILA SUL MULTILINGUAGEM

Exposição coletiva “Zonas Limítrofes” – Abertura

Quando: 6 de outubro (terça-feira), 19h às 21h30

Onde: Goethe-Institut Salvador-Bahia (Av. Sete de Setembro, 1809, Corredor da Vitória)

Quanto: R$ 10, à venda em www.sympla.com.br/goethebahia

Transmissão ao vivo: www.youtube.com/goethebahia

Classificação indicativa: 14 anos

Deixe seu comentário

Sem comentários, seja o primeiro.