Abertura da exposição “Jorge, Amado é Universal” marca celebração do centenário do escritor em Salvador

Sem categoria
1 de agosto de 2012
por Genilson Coutinho

A Secretaria de Cultura do Estado da Bahia (Secult/BA) celebra o centenário de um dos maiores protagonistas da literatura brasileira, o escritor baiano Jorge Amado (1912-2001), com a realização de uma série de atividades artístico-culturais em homenagem ao consagrado autor de livros como “Gabriela” e “Dona Flor e Seus Dois Maridos”. A programação se estende até o mês de dezembro de 2012 e integra o projeto Ano Jorge Amado, iniciativa desenvolvida pela Secult/BA ao lado de diversas instituições e personalidades ligadas ao universo e obra de Jorge. Iniciado em agosto de 2011, com a realização de diversos eventos, entre eles, ciclos de palestras, espetáculos e exposições, o Ano Jorge Amado é pleno de homenagens, emoções e rememorações “daquele que foi um dos inventores da identidade baiana, tal como vivenciamos hoje”, afirma o secretário de Cultura do Estado da Bahia, Albino Rubim.

Para o secretário, “Jorge inventou a Bahia para baianos, brasileiros e estrangeiros. Cabe a nós colocar em debate esta potente invenção e relembrar o que Walter Benjamin escreveu: ‘…um acontecimento vivido é finito, ou pelo menos encerrado na esfera do vivido, ao passo que o acontecimento lembrado é sem limites, porque é apenas uma chave para tudo que veio antes e depois’.”. Neste sentido, em torno dos 100 anos de nascimento do maior escritor baiano, comemorado no dia 10 de agosto, a Secult/BA programou três grandes atividades.

A partir do dia 09, às 19h, o público baiano poderá conferir a abertura da exposição “Jorge, Amado e Universal”, em cartaz no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM). A mostra, aberta até o dia 14 de outubro, já passou pelo Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, e atraiu mais de 130 mil pessoas. Dividida em módulos distintos, cada um deles dedicado a um aspecto marcante na vida do escritor e também de seus personagens, como Gabriela e Nacib (Gabriela Cravo e Canela, 1958), a exposição traz fotografias, objetos, folhetos de cordel, filmes e outros itens que fizeram parte da vida do autor, alguns deles nunca antes apresentado ao grande público. “O fato desta mostra ser apresentada ao povo baiano – personagem principal da obra de Jorge Amado – no Solar do Unhão, sede do MAM-BA e cenário, por mais de dois séculos, daquela sociedade latifundiária, escravocrata e patriarcal, retratada de forma contundente pelo escritor, potencializa ao público visitante a experiência e entendimento do caráter histórico, social e antropológico de sua obra”, afirma Stella Carrozzo, diretora do MAM-BA. A mostra ocupa o primeiro andar do Casarão, a Capela e parte do Foyer do museu.

“Concerto Amado Amar”, espetáculo com apresentação da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA), acontece nos dias 10 e 11 de agosto, no Teatro Castro Alves (TCA) e no Pelourinho, respectivamente, ambas com entradas gratuitas. O evento contará com a participação especial de artistas Moraes Moreira, Saulo Fernandes, Gerônimo, Roberto Mendes, Ana Mametto e outros grandes músicos da Bahia. ”O foco principal é homenagear o centenário do ilustre escritor com músicas de compositores ligados e interligados a ele, com uma miscigenação de sons e arranjos cuidadosamente escritos para que o público possa ler Jorge Amado através das canções e dos coloridos dos instrumentos da também aniversariante Orquestra Sinfônica da Bahia, que está completando 30 anos”, diz Luciano Calazans, diretor musical do concerto.  Para o Concerto no TCA, o pré-convite do evento poderá ser trocado por duas cortesias na bilheteria do teatro, a partir do dia 8 de agosto, das 12h às 18h, ou até 1h antes do início do espetáculo. Trocas sujeitas à lotação da Sala Principal do TCA.

Festival Amar Amado em Ilhéus

As ações comemorativas apoiadas pela Secult-BA não se limitam à capital baiana. A cidade de Ilhéus – onde o escritor, nascido em Ferradas, distrito de Itabuna, viveu sua infância e adolescência -, será sede do Festival Amar Amado, que acontece entre os dias 4 e 12 de agosto, em pontos estratégicos do município, como no Teatro Municipal de Ilhéus, Centro de Convenções e no palco que será montado na Praça da Catedral. A programação inclui lançamento de livros e filmes, conversas com autores, feira de arte, exposições, apresentações teatrais, musicais e de dança. Estão confirmadas apresentações da Orquestra Afro Sinfônica da Bahia, Moraes Moreira, Margareth Menezes, Caetano Veloso e família Caymmi, além de artistas locais. O festival é uma realização da Fundação Cultural de Ilhéus e da Maná Produções, com patrocínio do Governo da Bahia, através da Secult/BA.

Mostras fílmicas e espetáculos teatrais completam a programação

As ações em homenagem ao centenário de Jorge Amado, realizadas pela Secult/BA e entidades parceiras, se prolongam até o final do ano. Dentre elas, lançamento do livro “ABC de Jorge Amado”, um cordel idealizado pelo cantor e compositor Moraes Moreira, com ilustrações de Bel Borba. Composta por adaptações cinematográficas de obras como “Tieta do Agreste” e os documentários “Jorge Amado no Cinema”, a mostra itinerante “Jorge Cine Amado” é voltada principalmente aos estudantes de escolas públicas do interior e da capital do Estado. O cronograma de apresentações começa dia 08 de outubro, em Porto Seguro.Palestras e debates sobre as obras assistidas completam a mostra, que possui entrada gratuita.

A Fundação Pedro Calmon, através de suas bibliotecas, vem realizando o projeto Presença de Jorgeo Amado nas Bibliotecas. Na Biblioteca Infantil Monteiro Lobato, por exemplo, acontecerá uma série de atividades, alguma delas direcionadas ao público infantil. A programação contempla contação de histórias – seguida de oficinas de desenho e pintura, leituras dramatizas, oficinas de teatro, música e dança, e o espetáculo teatral “A Bola Apaixonada”. A Pedro Calmon dará continuidade também ao projeto Momentos da Leitura, que desde agosto de 2011 discute exclusivamente obras de Jorge Amado. O Momentos de Leitura acontece no primeiro sábado de cada mês, às 16h, no Museu Rodin.

Um ano de comemorações

O secretário de Cultura do Estado da Bahia, Albino Rubim, afirma que centenário do escritor e da figura humana Jorge Amado mobilizou a Secretaria de Cultura desde o início do ano de 2011. “Já em março, a Secretaria convidou um conjunto de instituições culturais e de personalidades próximas a Jorge e seu universo para imaginar conjuntamente o que depois foi denominado Ano Jorge Amado”, conta.

As festividades de abertura do Ano Jorge Amado aconteceram em 10 em agosto de 2011, no aniversário de 99 anos de nascimento do escritor. A Secult/BA participou da programação realizada pela Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho, e lançou o projeto Conversas Plugadas Especial, dedicado à literatura, com o moçambicano Mia Couto, considerado um dos mais importantes escritores do continente africano. Na ocasião, Couto ressaltou a importância de se fazer uma leitura africana das obras de Jorge Amado.

A série principal da Orquestra Sinfônica da Bahia (OSBA) foi definida como Série Jorge Amado, em homenagem ao centenário do escritor. Ao longo do ano realizou diversas apresentações, na Sala Principal do Teatro Castro Alves, e trouxe convidados como Enrique Diemecke, Isaac Karabtchevsky, e solistas como Antonio Menezes,  Ilya Kaler.  O Carnaval no Pelourinho recebeu decoração especial em suas ruas, largos e palcos, baseadas na obra “ O País do Carnaval”. A Secult também participou do desfile escola de samba Imperatriz Leopoldinense, que apresentou enredo “Jorge, Amado, Jorge”, em homenagem ao escritor baiano.

As bibliotecas públicas do estado também de renderam às festividades e centralizaram diversas de suas ações na literatura amadiana. O projeto Presença de Jorge, o Amado nas Bibliotecas promoveu ciclo de leitura e leituras dramáticas, exibição de filmes com debates, oficinas de arte literária, montagem de espetáculos e leituras em praças públicas. O livro de Zélia Gattai, Catálogo Fotográfico Zélia Gattai – A Casa do Rio Vermelho, com fotos de Jorge e sua família, foi apoiado através do Fundo de Cultura da Bahia. A marcante cerimônia de homenagem a Jorge realizada no terreiro de Mãe Stella de Oxossi também teve o apoio da Secretaria.

Foto: Genilson Coutinho

Fonte: SECULT