A resistência e os desafios relacionados ao envelhecimento das pessoas infectadas pelo HIV são temas de congresso em SP

Sem categoria
14 de junho de 2013
por Genilson Coutinho


A ameaça da resistência, os desafios relacionados ao envelhecimento das pessoas infectadas pelo HIV e a experiência de novas drogas para o tratamento da aids. Estes serão alguns dos temas tratados no congresso Drug Therapy in HIV Infection in the Americas , que acontece pela primeira vez no Brasil até o dia 15 de junho, em São Paulo.
O evento, voltado a médicos, profissionais de saúde e pesquisadores, reúne especialistas do mundo todo e é realizado há mais de duas décadas em Glasgow (Escócia). Nesta edição, o direcionamento é nas realidades da América Latina e do Caribe no controle da aids.
A proposta do evento é analisar evidências globais e regionais, discutir prioridades e rever estratégias de ação na tentativa de integrá-las às atividades de combate ao HIV na América Latina e do Caribe. Estes países, em maioria, apresentam epidemias concentradas em populações de maior risco e vulnerabilidade. Por fim, o objetivo é aprimorar a qualidade da atenção das pessoas que vivem com HIV e potencializar a efetividade do tratamento.
Para o argentino Pedro Cahn, ex-presidente da International Aids Society (IAS) e um dos palestrantes do evento, é “uma ótima notícia” e muito importante que o evento ocorra no Brasil, pois é o primeiro evento dedicado especificamente ao tratamento do HIV.
O médico infectologista irá falar sobre as diferentes políticas relacionadas ao tratamento no mundo e compará-las. “Por exemplo, temos diferenças em todo o mundo quanto ao início do tratamento antirretroviral. O da América Latina não é o mesmo da Europa, dos Estados Unidos, do Canadá”.
O evento é promovido pela farmacêutica MSD e apoiado pela University College London, do Reino Unido; pelo Karolinska Institute, da Suécia; University of Amsterdam, dos Países Baixos; Weill Cornell Medical College of Cornell University, dos Estados Unidos e pela International Aids Society (IAS). Com informações da Agência de Notícias da Aids