A Máquina que dobra o nada estreia no Teatro Módulo

Teatro
16 de abril de 2015
por Genilson Coutinho

A MÁQUINA QUE DOBRA O NADA_foto de Diney Araújo - 3 (1280x853)

Primeira direção do ator baiano Caio Rodrigo, o espetáculo infanto-juvenil também inaugura o grupo Artesania

Com 10 anos de carreira e 22 peças no curriculum, Caio Rodrigo já trabalhou com os principais diretores da cena teatral baiana: Fernando Guerreiro, Harildo Déda, Nehle Franke, Hebe Alves, Paulo Cunha, entre muitos outros nomes importantes das artes cênicas. Essas experiências com encenadores e processos bem distintos geram agora diversos elementos e referências para a criação do espetáculo cênico-musical “A MÁQUINA QUE DOBRA O NADA”.

A peça gira em torno da amizade entre um garoto e um cientista, que juntos planejam criar uma máquina fantástica, capaz de dobrar o nada. Inspirada nos neologismos e poemas de Manoel de Barros, a história revela a busca incessante de um homem que luta contra a descriatividade resultante do envelhecimento.

Contemplada pelo edital Arte Todo Dia, lançado pela Fundação Gregório de Mattos (órgão da Prefeitura de Salvador), a montagem marca ainda o lançamento do ARTESANIA, Núcleo de Investigaçao em Arte-Educação que tem como principal objetivo investir em estudos e projetos nessa área.

Além de Caio Rodrigo, o grupo conta com Ian Fraser – autor do texto original e que ano passado recebeu o prêmio Jovem Autor Inédito pelo Selo Literário João Ubaldo Ribeiro – e Carmelito Lopes, músico e professor atuante, que também estreia como diretor musical e compõe, em parceria com Letícia Lopes, a trilha sonora inédita do espetáculo. A temporada começa no dia 19/04 e segue até o dia 24/05, sempre aos domingos, 16h. Ingressos por R$ 20,00 (meia) e R$ 40,00 (inteira).

A trama é bem provocante, aguça a curiosidade, evoca mistérios e cria uma atmosfera lúdica muito dinâmica. A encenação se potencializa tanto nas músicas, interpretadas ao vivo pelo elenco, quanto nas coreografias que vão costurando o enredo e entrelaçando enigmas da peça.

A proposta de lutar contra a “descriatividade” se reproduz nos jogos cênicos de maneira muito inteligente, fazendo refletir através das descobertas do processo de crescimento e, ao mesmo tempo, incluindo conhecimentos de Ciências, História, Cultura, Língua Portuguesa, entre outras aprendizagens. Tudo isso ambientado no universo fantástico.

Assinado por Rodrigo Frota, o cenário passeia por toda a cena. Por ser móvel, modulável e manipulado pelos próprios atores e atrizes, se torna um componente muito rico em despertar possibilidades criativas para a atuação, a direção e, consequentemente, para a iluminação – do experiente e tarimbado Pedro Dultra.

“A MÁQUINA QUE DOBRA O NADA” é uma aventura poética, científica, filosófica, cheia de humor, mistérios e muita fantasia. O ARTESANIA convida você a viajar junto nessa história.

Estréia

A MÁQUINA QUE DOBRA O NADA

Data: De 19/04 a 24/05 (aos domingos).

Horário: 16h

Local: Teatro Módulo – Av. Prof. Magalhães Neto, 1177, Pituba.

Contatos: (71) 2102-1300 / www.portalmodulo.com.br/teatro-modulo