A caminho de Salvador com seu novo musical, Claudia Raia dispara: “Acredito no amor e no respeito à diversidade sexual”

Sala VIP
19 de abril de 2016
por Genilson Coutinho

Claudia Raia repassa 30 anos de carreira em musical. Foto: Caio Gallucci/Divulgação

Neste final de semana Salvador recebe o espetáculo “RAIA30 – O MUSICAL”, que marca a celebração dos 30 anos de carreira da atriz, bailarina, cantora e produtora teatral Cláudia Raia (49). O espetáculo é um dos mais esperados dentro do Projeto Catálogo Brasileiro de Teatro, realizado pelo empresário Fred Soares, e terá sessões nos dias 22, 23 e 24, no Teatro Castro Alves. Com texto de Miguel Falabella e direção de José Possi Neto, o espetáculo faz um grande mergulho na trajetória de Claudia, desde a sua iniciação no ballet clássico até sua carreira na televisão, destacando momentos importantes, como viagens marcantes para o deslanchar da sua carreira. Em entrevista à nossa equipe, a estrela do RAIA30 fala um pouco da construção do espetáculo e sobre sua relação com as causas de LGBTs. Confira!

 Dois Terços: O cenário do espetáculo  traz para o palco a magia dos musicas dos anos 50 e toda sua sutileza e plasticidade. Algum motivo especial para essa escolha?

Claudia Raia: O Gringo Cardia, que é quem assina o cenário se inspirou nos trabalhos da Dorothy Draper pra fazer o espetáculo. As colunas brancas, a escada preta e branca, toda a estética foi tirada de referencia dos cenários que a Dorothy fazia.

DT: Como foi o  processo de construção ao lado de Miguel Falabella e José Possi Neto? Ficou alguma coisa de fora que poderia fazer parte desta história?

CR: O critério que eu, o Miguel Falabella, que escreveu o texto, e o José Possi Neto, o diretor, utilizamos para escolhermos os personagens que entrariam foram aqueles personagens que são mais teatrais. De TV só entraram Tancinha e Tonhão, que são mais performáticas, mas há citações de vários outros durante o musical. É claro, vários de musicais, como a Charity, do Sweet Charity, e a Sally Bowles, do Cabaret. Trinta anos de carreira, não tem como não ficar algo de fora em 1h30 de show né?! rs

DT: Você chega aos 49 anos e 30 de carreira como a mesma energia e vivacidade. Em algum momento você pensou em parar?

CR: Nunca. Desde que me conheço por gente, dançar é o que mais quis na vida e continuo querendo fazer até morrer. Ser atriz foi uma conseqüência e me apaixonei perdidamente pela arte de atuar tb. Consigo nos musicais unir minhas duas paixões.

DT: Os Soteropolitanos estão contando  os dias para mais um encontro com você. Como é sua relação com Salvador?

Foto: Paschoal Rodriguez/Divulgação

CR: Eu amo Salvador! Já me apresentei inúmeras vezes, com diversos espetáculos na cidade. Tenho um carinho enorme pelos soteropolitanos. Gosto da alegria da cidade e do tempero dos baianos.

 DT: Você e  Marília Pera são grandes referencias dos musicais no Brasil. Como você avalia esses mercado atualmente?

CR: Acho que estamos crescendo a cada dia, em uma constante evolução. Hoje em dia temos profissionais capacitados em todas as áreas. Quando comecei parava as pessoas nas ruas perguntando se elas cantavam pelo menos um “parabéns pra você”. Fico orgulhosa de fazer parte da história do musical brasileiro.

DT: Ao longo da sua carreira você está sempre rodeadas de LGBT e naturalmente escuta os anseios dessa população no que se refere a direitos e lutas.  Você considera o Brasil um pais preconceituoso?

CR: Temos ainda muito que conquistar. Acredito no amor e no respeito à diversidade sexual.

SERVIÇO

Raia 30 – O Musical

22, 23 e 24 de Abril (sexta a domingo)

Local: Teatro Castro Alves

Horário: Sexta, às 21h; Sábado, às 18h30 e 21h | Domingo – 20h

Telefone: (71) 4003.1212

Valores

R$ 200,00/100,00 – setores de  A a P

R$ 140,00/70,00 – setores de Q a Z3

R$ 80,00/40,00 – setores de Z4 a Z8

R$ 50,00/25,00 – setores de Z9 a Z11