‘A bela e a fera’ é proibido nos EUA ‘ após anúncio sobre trama gay

Notícias
6 de março de 2017
por Genilson Coutinho

O ator Josh Gad, que interpreta Le Fou en ‘A bela e a fera’, em evento do filme em Londres (Foto: REUTERS/Neil Hall)

Um cinema no Alabama, um dos estados mais conservadores dos Estados Unidos, proibiu a exibição da nova versão de “A bela e a fera” após o anúncio de que o filme terá uma trama paralela gay. A recriação com atores da famosa animação da Disney estreia no próximo dia 17 nas salas americanas – um dia antes no Brasil.

Em um comunicado publicado no Facebook e citado pela imprensa americana, a proprietária do Henagar Drive-In Theatre, que fica no condado de DeKalb, disse que se recusa a “comprometer o que a Bíblia ensina”. “Se não pudermos levar nossa neta de 11 anos e nosso neto de 8 para assistir a um filme, não temos interesse em vê-lo. Se não pudermos assistir a um filme com Deus ou Jesus sentados ao nosso lado, não temos interesse em exibi-lo”, acrescenta, segundo a publicação.

Não está claro se a exibição de “A bela e a fera” estava na programação do cinema. A Disney não comentou o caso. No texto, Carol Laney, que administra o Henagar Drive-In com seu marido, afirma que os frequentadores podem ir ao local para ver “filmes saudáveis, sem se preocupar com sexo, nudez, homossexualidade e linguagem suja”.

Segundo o “The New York Times”, a página do cinema no Facebook foi inundada com mais de 1.300 comentários na sexta-feira (3), quando a proibição foi anunciada. Alguns apoiaram a decisão, mas a maioria condenou a conduta e acusou o estabelecimento de homofobia.

O ator Josh Gad, que interpreta Le Fou en ‘A bela e a fera’, em evento do filme em Londres (Foto: REUTERS/Neil Hall) O ator Josh Gad, que interpreta Le Fou en ‘A bela e a fera’, em evento do filme em Londres (Foto: REUTERS/Neil Hall)

1ª cena ‘exclusivamente gay’

Em entrevista publicada na última quarta-feira (1º) na revista “Attitude”, voltada ao público homossexual, o diretor do novo “A bela e a fera”, Bill Condon, revelou que a Disney irá exibir sua primeira cena “exclusivamente gay” no remake. Na história, os protagonistas, os britânicos Emma Watson e Dan Stevens, serão heterossexuais, mas o ajudante LeFou, braço-direito de Gaston interpretado pelo ator americano Josh Gad, aparecerá confuso em relação à própria sexualidade.

A Disney divulgou o clipe do filme A Bela e a Fera  na voz de Ariana Grande e John Legend ; assista

“LeFou é alguém que um dia quer ser Gaston e no outro dia quer beijar Gaston”, explicou. “Ele está confuso sobre o que quer. É alguém que está se dando conta de que tem esses sentimentos. É um momento legal e exclusivamente gay em um filme da Disney.”

O anúncio causou indignação também na Rússia, onde o deputado Vitali Milonov recomendou neste sábado (4) que o Ministério da Cultura do país avalie bem o filme, por achar que a obra infringe uma lei que proíbe a “propaganda gay”. Ele pediu ao ministro que organize uma projeção especial antes da estreia, a fim de “tomar medidas para vetar totalmente sua exibição se forem encontrados elementos de propaganda homossexual”.

Animação recriada

“A bela e a fera” é uma recriação da animação original de 1991, dirigida por Gary Trousdale e Kirk Wise, que arrecadou US$ 424 milhões no mundo todo e se tornou o primeiro longa do gênero a ser indicado ao Oscar de melhor filme. Na história, um príncipe é transformado em uma figura bestial e uma jovem aceita viver em seu castelo em troca da liberdade do pai. O elenco da nova versão tem ainda Ewan McGregor, Ian McKellen, Emma Thompson, Josh Gad e Stanley Tucci.